Indústria Lucros da Altri caem para 57 milhões até Setembro

Lucros da Altri caem para 57 milhões até Setembro

O grupo registou uma quebra de 32,7% dos resultados líquidos, o que justifica pela contínua descida dos preços de pasta. Os investimentos da Altri somaram 33 milhões. 
Lucros da Altri caem para 57 milhões até Setembro
Miguel Baltazar
Maria João Babo 03 de Novembro de 2016 às 19:18

A Altri registou nos primeiros nove meses deste ano um resultado líquido de 57 milhões de euros, o que representa uma quebra de 32,7% face aos 84 milhões registados há um ano.

 

Em comunicado, a empresa explica que os resultados foram afectados sobretudo pela contínua descida dos preços de pasta, ainda que no terceiro trimestre, assinala, o ritmo de quebra de preço tenha sido menos acentuado que nos trimestres anteriores. 

 

As receitas totais da Altri até Setembro somaram 453,4 milhões de euros, o que representa uma redução de 8,3% face ao período homólogo de 2015.

 

Nos mercados externos, no terceiro trimestre, o grupo colocou 242,7 mil toneladas de pasta, mais 9% do que no trimestre anterior.

 

No terceiro trimestre de 2016, as vendas totais de pasta ascenderam a 123,8 milhões de euros, o que corresponde a um decréscimo de cerca de 21% face ao período homólogo e a um crescimento de cerca de 4% face ao segundo trimestre deste ano.

 

Nos primeiros nove meses, os custos operacionais da Altri recuaram 1,9% para 324,7 milhões de euros.

 

O EBITDA gerado situou-se em 128,7 milhões de euros, traduzindo um decréscimo de 21,2% face a 2015. A margem EBITDA recuou 4,6 pontos percentuais para 28,4%.

 

Até Setembro, segundo refere, foram realizados investimentos totais de 33 milhões de euros. O endividamento líquido, por seu lado, diminuiu para 457 milhões de euros, o que compara com os 459 milhões registados no final do segundo trimestre deste ano.

 

Para o quarto trimestre, a Altri perspectiva que os preços da pasta papeleira possam ser impactados pelas notícias recentes de que alguns produtores relevantes poderão estar a considerar cortes temporários de capacidade, bem como de eventuais atrasos na entrada em funcionamento de alguns projectos.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

COFINA: INVERSÃO DA QUEDA: Receitas de jornais e TV no 1ºSem./16 caíam -1% (para 39,9 M€), 3 meses após no conjunto de 9 meses já sobem 0,9% (para 61,1 M€). Dívida liquida continua a baixar,para 56,5 M€,menos 2,1 M€ que final de Junho/16. E,mais,tem lucros de 3,6 M€ nos 9 meses. COMPRAR FORTEMENTE.

pub