Indústria Lucros da Corticeira Amorim sobem 23,7% com aumento das vendas

Lucros da Corticeira Amorim sobem 23,7% com aumento das vendas

Os lucros aumentaram para 17,2 milhões de euros e as receitas subiram para 171,7 milhões de euros, números que ficaram ligeiramente acima das estimativas dos analistas do CaixaBI.
Lucros da Corticeira Amorim sobem 23,7% com aumento das vendas
DR
Nuno Carregueiro 15 de maio de 2017 às 07:44

A Corticeira Amorim registou lucros de 17,2 milhões de euros nos primeiros três meses deste ano, o que representa um aumento de 23,7% face ao mesmo período do ano passado.

 

Em comunicado à CMVM, a empresa liderada por Rios Amorim justifica o crescimento dos lucros com um aumento de 9,6% nas vendas, que atingiram 171,7 milhões de euros.

 

Os números saíram ligeiramente acima das estimativas dos analistas do CaixaBI, que apontavam para lucros de 17 milhões de euros, com receitas de 166 milhões de euros.

A Corticeira Amorim diz que para o crescimento das vendas contribuiu de "mais dois dias de trabalho que o primeiro trimestre de 2016" em Portugal, enquanto "em sentido contrário, será afectado o mês de Abril", do segundo trimestre, que teve menos quatro dias de trabalho em Portugal.

 

A empresa assinala que "todas as Unidades de Negócios registaram crescimento das vendas para clientes finais", o que resultou do aumento das quantidades vendidas, a que se junta um efeito cambial positivo de cerca de 2,1 milhões de euros.

 

O EBITDA aumentou de forma mas expressiva do que as vendas, com um crescimento de 21,6% para 33,6 milhões de euros. Assim, o rácio do EBITDA sobre as vendas subiu quase dois pontos percentuais para 19,5%, superando o registado em todo o ano passado (19,1%). Segundo a Corticeira Amorim, "este crescimento é maioritariamente baseado no aumento de vendas e em ganhos na margem bruta".

 

A unidade de negócio das rolhas, a mais relevante da empresa, foi a que mais contribuiu para a subida dos lucros. As vendas subiram mais de 9% para 112,9 milhões de euros, devido sobretudo ao "volume de vendas, reforçado pelo efeito mix positivo obtido nas rolhas naturais". O EBITDA desta actividade subiu 27% para 22,7 milhões de euros.

 

O nível dos indicadores financeiros, a Corticeira Amorim também registou evoluções positivas, continuando a beneficiar "de taxas de juro e de endividamento cada vez mais reduzidos".

 

A Corticeira Amorim chegou a Março com uma dívida líquida de 12 milhões de euros, abaixo dos 36 milhões de euros registados no final do ano passado e dos 87 milhões de euros em Março de 2016. Esta redução levou o rácio da dívida sobre o EBITDA para 0,09 vezes. Em Março do ano passado estava em 0,83 vezes.

 

As acções da Corticeira Amorim fecharam a sessão de sexta-feira a valorizar 1,15% para 11,4 euros. 


(Notícia actualizada às 7:59 com mais informação)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub