Energia Lucros da Exxon Mobil desiludem com imparidades

Lucros da Exxon Mobil desiludem com imparidades

O registo de um impacto negativo de 2.000 milhões de dólares nas contas dos últimos três meses de 2016 deram à petrolífera norte-americana o nono trimestre consecutivo de quedas homólogas no resultado líquido.
Lucros da Exxon Mobil desiludem com imparidades
Paulo Zacarias Gomes 31 de janeiro de 2017 às 14:09
A reavaliação de activos - nomeadamente de campos de gás nos EUA - penalizou as contas trimestrais da petrolífera Exxon Mobil, levando o total do ano a uma queda de 51% nos lucros.

A empresa encerrou os últimos três meses do ano passado com lucros de 1.680 milhões de dólares (1.562 milhões de euros à cotação actual), um resultado líquido de 41 cêntimos de dólar por acção e abaixo dos 67 cêntimos de dólar registados um ano antes.

O valor saiu também pior do que o esperado pelos analistas sondados pela Bloomberg. Aquele foi, de acordo com a agência noticiosa, o nono trimestre consecutivo de quedas homólogas para a petrolífera, a maior série de recuos desde 1988.

O ano de 2016 fechou assim com lucros de 7.840 milhões de dólares (7.284 milhões de euros), contra 16.150 milhões de dólares (15.000 milhões de euros) um ano antes.

A pesar nas contas esteve a repercussão de 2.000 milhões de dólares (1.858 milhões de euros) em imparidades no valor de campos de gás natural detidos pela empresa nos Estados Unidos, nomeadamente na região das Montanhas Rochosas.

Excluindo essas imparidades, os resultados de todo o ano teriam sido, pelas contas da empresa, de 9.900 milhões de dólares (9.200 milhões de euros), mantendo a queda em relação a 2015.

As acções da Exxon Mobil negoceiam, no período de pré-abertura dos mercados em Wall Street, a avançar 0,22% para 85,05 dólares.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub