Banca & Finanças Lucros da Fidelidade caem para 211 milhões sem ganhos com dívida pública

Lucros da Fidelidade caem para 211 milhões sem ganhos com dívida pública

A Fidelidade lucrou 211 milhões no ano passado, recuando 26% face a 2015, ano de ganhos com a dívida pública. A actividade seguradora subiu no ramo não vida e caiu menos do que o mercado vida. A companhia controlada pelos chineses da Fosun acentuou a liderança do mercado, com uma quota de 32,2%.
Lucros da Fidelidade caem para 211 milhões sem ganhos com dívida pública
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Gago 16 de março de 2017 às 16:21

A Fidelidade, seguradora do grupo chinês Fosun, lucrou 211 milhões de euros no ano passado, uma quebra de 26% face ao exercício anterior, cujos resultados foram impulsionados por ganhos de 100 milhões com títulos de dívida pública.

 

Em 2016, os resultados dos investimentos fixaram-se em 442 milhões, uma quebra homóloga de 30%. Já o nível de eficiência melhorou, o que permitiu reduzir o rácio de despesas e o rácio combinado, que atingiu os 97,6%, menos 2,3 pontos percentuais do que em 2015, de acordo com os dados que constam do relatório e contas da seguradora liderada por Jorge Magalhães Correia, já disponível no site da companhia.

 

Em termos de actividade, o total de prémios de seguro emitidos ascendeu a 3.726 milhões de euros, menos 6,1% do que em 2015, o que, ainda assim, permitiu à Fidelidade reforçar a sua posição de liderança. A companhia detida pela Fosun voltou a dominar mais de 30% do mercado segurador português, já que a sua quota global passou de 29,8% para 32,2%.

 

A quebra na produção seguradora resultou da diminuição do negócio vida, cujos prémios recuaram 12,3%, para 2.452 milhões. No entanto, esta redução foi inferior à verificada no conjunto do mercado vida (menos 23%), pelo que a Fidelidade conseguiu reforçar a sua quota de mercado em Portugal para 35,5%, contra os anteriores 31,4%.

 

No ramo não vida, os prémios emitidos cresceram 8,7%, para 1.274 milhões. Uma evolução que, em Portugal, permitiu à seguradora aumentar a sua quota de mercado neste segmento de 26,1% para 26,9%.

 

A contribuir positivamente para a evolução do negócio da seguradora da Fosun esteve a actividade internacional. Apesar de representar menos de 10% do negócio, os prémios emitidos nas operações do exterior subiram 12,7%, totalizando 228,1 milhões.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub