Tecnologias Lucros da Glintt aumentam para 734 mil euros  

Lucros da Glintt aumentam para 734 mil euros  

A empresa tecnológica aumentou as receitas e baixou o EBITDA, num período em que os lucros aumentaram para 734 mil euros.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 21 de julho de 2017 às 17:14

A Glintt fechou o primeiro semestre com um lucro de 734 mil euros, que representa um aumento de 6,1% face ao período homólogo, tendo em conta os resultados reexpressados da empresa.

 

A companhia reescreveu as contas de 2016 para "reflectir o impacto da operação descontinuada da Glintt Energy e permitir comparabilidade da actividade económica com a apresentada no primeiro semestre de 2017", explica em comunicado.

 

As vendas e prestação de serviços estabilizaram nos 32,9 milhões de euros, com a empresa a adiantar que "a evolução favorável quer na actividade doméstica quer na actividade internacional, em particular em Espanha, acabou por absorver a contracção de actividade noutras geografias, nomeadamente Angola, Reino Unido e Irlanda, verificando-se um contributo dos mercados internacionais de 26% do volume de negócios total".

 

O EBITDA sofreu uma queda de 8,6% para 3,5 milhões de euros, com a margem a baixar para 10,6%. A penalizar as contas estiveram os impostos, que mais do que duplicaram para 281 mil euros.

 

Nas perspectivas para o resto do ano, a administração da Glintt diz que pretende "dar continuidade à estratégia de especialização e foco no sector da saúde, estando prevista a continuação do investimento na melhoria de soluções tecnológicas já comercializadas em clientes".

 

A Glintt pretende ainda "tornar mais robusto o processo de internacionalização, reforçando nomeadamente a oferta nos mercados onde já opera", acrescenta.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub