Construção Lucros da Teixeira Duarte caem 40% em 2016

Lucros da Teixeira Duarte caem 40% em 2016

A construtora terminou o ano passado com lucros inferiores aos do ano anterior, num período em que as receitas diminuíram devido quer ao mercado interno como internacional.
Lucros da Teixeira Duarte caem 40% em 2016
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 07 de abril de 2017 às 18:37

A Teixeira Duarte terminou 2016 com um resultado líquido de 20,15 milhões de euros, o que corresponde a uma queda de 40,1% face aos resultados de 2015, revelou esta sexta-feira, 7 de Abril, a construtora liderada por Pedro Teixeira Duarte (na foto) em comunicado emitido para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A contribuir para esta redução de lucros esteve a quebra de 21% do volume de negócios para 1,1 mil milhões de euros. No período em análise, a quebra de receitas foi transversal aos mercados em que opera, com o volume de negócios dos mercados internacionais a recuarem 21,6%, enquanto o português desceu 17,5%.

 

Por países, as maiores quebras foram registadas em Angola e em Moçambique, ambos os mercados com quebras de 33,7%. Espanha foi o terceiro país onde se observaram maiores quebras (20%). Já a Venezuela protagonizou o maior aumento de receitas, 96,5%.

 

Já por áreas de negócio, a de concessões e serviços foi a única que aumentou o volume de negócios. Automóvel e construção foram as que observaram as maiores quebras, de 49% e 22,9%, respectivamente.  

O EBITDA da Teixeira Duarte aumentou 30,5% para 279,03 milhões de euros, num período em que os custos operacionais diminuíram 25,6%. As amortizações e depreciações também caíram quase 9%, enquanto as provisões e perdas por imparidades aumentaram 48,4%.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub