Banca & Finanças Lucros do Banco Atlântico Europa mais do que duplicam

Lucros do Banco Atlântico Europa mais do que duplicam

O banco atingiu um resultado líquido de 6,8 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, período em que as comissões dispararam 146% e os custos subiram 33%.
Lucros do Banco Atlântico Europa mais do que duplicam
Negócios 26 de outubro de 2017 às 15:52

O Banco Atlantico Europa (BAE) atingiu um resultado líquido de 6,8 milhões de euros, um valor que traduz um crescimento de 169% face ao registado no mesmo período do ano passado.

 

Segundo um comunicado enviado pela instituição financeira, o produto bancário cresceu 41% para os 22,5 milhões de euros, beneficiando da subida de 146% das comissões líquidas e de 10% da margem financeira.

 

O banco liderado por Diogo Cunha destaca o aumento de 34% nos recursos de clientes, que superaram os 1,3 mil milhões de euros.

 

O rácio de solvabilidade fixou-se em 14,1% e a rendibilidade anualizada dos capitais próprios foi de 15,4%, o nível mais elevado alcançado pelo banco.

 

Os custos de funcionamento do banco aumentaram 33% para os 11,1 milhões de euros, uma subida que o banco diz reflectir o "actual período de crescimento (…), que já conta com 147 colaboradores, o desenvolvimento da plataforma tecnológica e o reforço da visibilidade da marca".

 

Diogo Cunha, CEO do Banco, destaca que "num ambiente que se mantém desafiante para o sector bancário, continuamos a desenvolver o nosso modelo de negócio, que privilegia transacções invés de crédito, e qualidade de serviço via meios remotos no lugar dos balcões tradicionais".

 

A maioria do capital do Banco Atlantico Europa está nas mãos da Atlantico Financial Group, SARL (89,5%). O Banco Millennium Atlantico detém 7%, a que se juntam mais 3,5% do Nasoluma.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub