Banca & Finanças Lucros do Banco Popular caem 66% até Setembro

Lucros do Banco Popular caem 66% até Setembro

O banco espanhol Popular teve lucros de 94,33 milhões de euros nos nove primeiros meses do ano, uma queda de 66% face a igual período do ano passado.
Lucros do Banco Popular caem 66% até Setembro
Angel Ron está a implementar no Popular um programa de corte de postos de trabalho
Reuters
Alexandra Machado 28 de Outubro de 2016 às 09:28

O Banco Popular apresentou lucros de 94,3 milhões de euros no conjunto dos nove meses terminados em Setembro, uma queda de 66%, segundo comunicou esta sexta-feira, 28 de Outubro ao mercado.

O negócio principal, da banca, garantiu um lucro de 816 milhões de euros, menos 24%, enquanto o negócio imobiliário teve perdas de 722,5 milhões. O El Pais recorda que o banco tem em curso um processo de redução de postos de trabalho que abrange um total de 2.600 trabalhadores.

No comunicado, o Popular analisa o momento do mercado bancário. "As baixas taxas de juro e a desalavancagem que se prolonga no tempo, a regulação e o desafio tecnológico são os desafios que enfrente o sector financeiro", tendo o Popular, acrescenta o banco, "antecipado-se a estes desafios, fazendo com êxito um aumento de capital e estabelecendo prioridades estratégicas claras que constituem a base do Plano 2016-18".

E que passa por: "desenvolver os negócios de forma especializada; voltar a normalizar a rentabilidade; desinvestimento e rentabilização de activos não rentáveis; manutenção de uma adequada posição de solvência; e regresso à política de dividendos".

A descida nas taxas de juro levam à queda da margem financeira, que caiu 6,3%, para 1.579 milhões de euros. As comissões desceram 1,2%. Os custos administrativos também caíram e a um nível mais elevado, de 2,2%.

As quotas de mercado, segundo diz o Popular, cresceram para 7,72% no crédito e 6,17% nos depósitos. O Banco Popular continua a reforçar as provisões, ainda que o volume de malparado tenha caído em 6,2% para 17.538 milhões de euros. Depois do aumento de capital, a entidade reforçou o seu capital. O core tier 1 está nos 15,29%.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Hernani Há 1 semana

Querem resultados? Paguem bem por um bom gestor. Se fosse accionista do banco punha já este Ron a andar. Depois talvez despedisse 2600 mas o primeiro a marchar era este Angel. Uma queda de 66% ? Este gajo nem para varrer o passeio serve, pelos vistos.

pub