Banca & Finanças Lucros do Bank of America subiram para 18,2 mil milhões em 2017

Lucros do Bank of America subiram para 18,2 mil milhões em 2017

Apesar dos custos associados à reforma fiscal terem penalizado os números do quarto trimestre, o segundo maior banco dos Estados Unidos, aumentou os lucros no ano passado.
Lucros do Bank of America subiram para 18,2 mil milhões em 2017
Reuters
Rita Faria 17 de janeiro de 2018 às 13:29

O Bank of America, o segundo maior banco dos Estados Unidos em termos de activos, aumentou os seus lucros no ano passado, apesar dos encargos adicionais impostos pela reforma fiscal norte-americana, que penalizaram os resultados dos últimos três meses do ano.

De acordo com os dados divulgados esta quarta-feira, 17 de Janeiro, o banco viu os seus lucros aumentarem de 17,8 mil milhões de dólares, em 2016, para 18,2 mil milhões de dólares, no ano passado.

Olhando para o último trimestre, o resultado líquido desceu 48% para 2,37 mil milhões de dólares, ou 0,20 dólares por acção, penalizado pelos custos associados à reforma fiscal - que totalizaram 2,9 mil milhões de dólares - e por uma perda de 292 milhões de dólares decorrente do escândalo contabilístico da Steinhoff.

Excluindo este encargo extraordinário, os lucros do banco teriam ascendido a 0,47 dólares por acção, uma valor acima do esperado pelos analistas, que apontavam para 0,45 dólares.

Os lucros do Bank of America foram suportados não só pela melhoria das receitas nas unidades de serviços bancários e gestão de activos, como também pelo corte de custos que tem sido implementado pela instituição.

As contas do Bank of America são conhecidas um dia depois de o Citigroup ter revelado que fecho o ano de 2017 com prejuízos de 6,2 mil milhões de dólares, um resultado que se deveu sobretudo ao encargo extraordinário de 22 mil milhões de dólares relacionado com a reforma fiscal.