Banca & Finanças Lucros do CaixaBank sobem 61% em 2017. BPI contribui com 176 milhões

Lucros do CaixaBank sobem 61% em 2017. BPI contribui com 176 milhões

O banco espanhol, dono do BPI, refere que o ano passado foi o melhor ano de sempre em termos de resultados. Os lucros subiram 61%.
A carregar o vídeo ...
Raquel Godinho 02 de fevereiro de 2018 às 07:51

O Caixabank terminou 2017, ano da integração do BPI, com lucros de 1.684 milhões de euros, revela em comunicado enviado à CNMV. Estes lucros representam um crescimento de 60,9% face ao ano anterior. O BPI contribuiu com 176 milhões de euros, acrescenta a instituição espanhola.  

 

"O Grupo CaixaBank, liderado por Jordi Gual e cujo presidente-executivo é Gonzalo Gortázar, obteve nos exercício de 2017 um lucro atribuível de 1.684 milhões de euros (+60,9% face a 2016), o que representa o maior resultado anual na história de CaixaBank", revela o comunicado que acrescenta que os lucros em Espanha alcançaram os 1.508 milhões de euros, aumentando 44,1% face a 2016.

 

O banco sublinha que 2017 foi marcado pela "consolidação por integração global dos resultados do BPI desde Fevereiro" que contribuiu com 176 milhões de euros para os resultados do grupo.

 

A margem financeira cresceu 14,2% para os 4.746 milhões de euros, num ano em que as comissões se situaram nos 2.499 milhões de euros, mais 19% do que um ano antes.

 

A margem bruta subiu 5,1% para os 8.222 milhões de euros, devido à "maior geração de receitas básicas do negócio bancário (margem de juros, comissões e receitas do negócio de seguros), que aumentaram 18% no grupo e 8% no CaixaBank devido à incorporação do BPI".

"96% das receitas vêm da actividade bancária básica, depois da menor actividade das operações financeiras (-66,7%) e a menor contribuição das participadas (-21%)", acrescenta o CaixaBank.

 

O crédito aos clientes aumentou 9,3% para os 223.951 milhões de euros. Os activos líquidos totais situaram-se nos 72.775 milhões de euros. "O Grupo CaixaBank alcançou um rácio Common Equity Tier 1 (CET1) fully loaded de 11,7%, em linha com o fixado no Plano Estratégico de 11%-12% e quase três pontos percentuais acima do requerido pelo supervisor de 8,75%", frisa.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Mr.Tuga 02.02.2018

O discurso de TRETA dos "enormes desafios para a banca", blá, blá, blá....

Vamos ver os aumentos salariais para 2018 para os bancários ?!?!?

General Ciresp 02.02.2018

Oh minha rica Raquel nao tenho inveja de quem faz pela vida,todavia nao consigo perceber como e q estes bancos fazem centenas de milhoes de lucros enquanto q a cx geral depenados fica a pedir 1 euro a quem passa.Ha 1 ditado q diz:ganha a fama e deita-te na cama.Ainda vivemos esse ditado,fieis ao pas

Saber mais e Alertas
pub