Banca & Finanças Lucros do Santander crescem 37% no primeiro semestre

Lucros do Santander crescem 37% no primeiro semestre

O banco espanhol fechou o primeiro semestre deste ano com lucros de 3.616 milhões de euros, que já incluem a incorporação do Banco Popular. Em Portugal, o lucro atribuível aumentou 16%.
Lucros do Santander crescem 37% no primeiro semestre
Reuters
Rita Faria 28 de julho de 2017 às 07:45

O banco espanhol Santander fechou o primeiro semestre deste ano com lucros de 3.616 milhões de euros, o que representa uma subida de 24% face ao mesmo período do ano passado.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição justifica a melhoria dos resultados com o aumento dos ganhos decorrentes da actividade com clientes, disciplina de custos e redução das provisões para o malparado.

O Banco Popular, que o Santander adquiriu a 7 de Junho, contribuiu com 11 milhões de euros para o resultado do grupo, elevando os lucros do segundo trimestre para 1.749 milhões de euros, mais 37% do que no período homólogo de 2016.

A margem bruta aumentou 11% para 23.939 milhões de euros entre Janeiro e Junho, período em que o crédito e os recursos de clientes cresceram 1% e 8%, respectivamente.

"Continuámos a cumprir os nossos compromissos, com um crescimento rentável e um aumento da qualidade dos nossos resultados em todo o grupo", afirma Ana Botín, presidente do banco, citada em comunicado. "O negócio tem mostrado tendências positivas em todos os mercados, com um crescimento particularmente forte na América Latina, melhorias importante em Espanha e um forte desempenho no Reino Unido apesar do contexto".

No primeiro semestre, a Europa contribuiu para 51% dos lucros do grupo enquanto a América foi responsável pelos restantes 49%.

Em Portugal, o lucro atribuível aumentou 16% para 233 milhões de euros, devido ao foco na transformação comercial que impulsionou um aumento de 24% no número de clientes vinculados e de 34% nos clientes digitais, informa o banco. 

Já os lucros da actividade espanhola dispararam 102% para 603 milhões de euros, devido, entre outros factores, aos custos de reestruturação do primeiro semestre do ano passado. Excluindo este impacto, o resultado aumentou 17,1%. 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
justiceiro 28.07.2017

apresentam lucros sempre à custa de aplicar comissões acima de comissões. Nos balcões do santander onde tenha wc publico, para ir lá cagar tem que se pagar.

pub