Tecnologias Lucros e receitas da Apple superam estimativas

Lucros e receitas da Apple superam estimativas

A tecnológica liderada por Tim Cook reportou esta noite as suas contas do quarto trimestre fiscal, que agradaram ao mercado. As vendas de iPhones ficaram praticamente em linha com o que se esperava. Já as receitas e lucros ficaram acima das projecções dos analistas.
Lucros e receitas da Apple superam estimativas
reuters, bloomberg
Carla Pedro 02 de novembro de 2017 às 21:05

A Apple vendeu mais 46,7 milhões de iPhones no seu quarto trimestre fiscal, ficando assim em linha com a projecção média de 46 milhões dos analistas inquiridos pela FactSet. Mas, apesar de o volume de vendas ter correspondido ao esperado, a empresa fez mais dinheiro com os telemóveis que vendeu.

 

O volume de negócios da tecnológica da maçã aumentou 12,2% no período em análise, face ao período homólogo de 2016, para 52,58 mil milhões de dólares, reportou a Apple esta quinta-feira após o fecho das bolsas dos EUA. Ficou assim acima das estimativas do consenso de mercado, que apontavam para 50,7 mil milhões de dólares.

 

Tanto o iPhone como o iPad e os computadores Mac aumentaram as suas vendas face ao mesmo trimestre de 2016.

 

Por seu lado, o resultado líquido subiu 19% no período homólogo, de 9,01 para 10,71 mil milhões de dólares. O lucro ajustado por acção foi assim de 2,07 dólares, contra 1,67 dólares no mesmo período do ano passado – e acima dos 1,87 dólares esperados em média pelos analistas auscultados pela Thomson Reuters.

 

Para o trimestre em curso, a empresa com sede em Cupertino (Califórnia) prevê receitas entre 84 e 87 mil milhões de dólares, o que também animou os investidores, que projectavam 84,9 mil milhões.

 

Além disso, a tecnológica anunciou que vai distribuir um dividendo de 63 cêntimos por acção.

 

Com estas previsões, a Apple sinalizou que espera fortes vendas dos novos iPhones, apresentados em Setembro – os modelos 8 e 8 Plus e o X [sendo que este último, que marca o 10.º aniversário da empresa, começa a ser vendido amanhã, algo a que os analistas estarão atentos pois a Apple já reportou alguns problemas em atender às metas previstas de produção e o mercado quer saber se todos os que desejam o iPhone X até ao Natal o terão.

 

As acções da tecnológica liderada por Tim Cook reagiram bem a estas contas e seguem a subir 3,03% na negociação fora de horas em Wall STreet, para 173,29 dólares – o que constitui um novo máximo histórico.

 

A empresa encerrou a sessão regular desta quinta-feira a somar 0,7% para 168,11 dólares e tinha ontem estabelecido um recorde nos 169,94 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub