Banca & Finanças Lucros levam CGD a sonhar com menos cortes
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Lucros levam CGD a sonhar com menos cortes

Os lucros da Caixa vieram um ano mais cedo. Imparidades de crédito ao mínimo, redução das remunerações pagas nos depósitos, “swaps” de taxa de juro e corte de custos são quatro ingredientes que justificam a saída de resultados negativos.
Lucros levam CGD a sonhar com menos cortes
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 04 de fevereiro de 2018 às 23:15

Seis anos depois, a Caixa Geral de Depósitos voltou a terminar um ano com lucros. Foram 51,9 milhões de euros os resultados líquidos apurados em 2017, que permitem à gestão liderada por Paulo Macedo pensar num plano

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Kudos para os fundos de investimento da Caixa Há 2 semanas

Fundos mobiliários e imobiliários da Caixa, aumentaram nível de colocação junto dos clientes, justificando felicitações para todos os responsáveis,
seja os que gerem os fundos na retaguarda,
seja os que, na primeira linha de contacto com os clientes, os colocam.
Votos para que os fundos em geral, e os da Caixa em particular,
possam ocupar o lugar que se justificaria na carteira ótima de investimentos financeiros dos Portugueses,
refletindo preocupações que, mais do que interesses circunstanciais dos bancos que os comercializam,
tomem em conta os interesses perenes de uma população portuguesa
carecendo de estímulos significativos para retornar aos caminhos de uma poupança que a sirva a Ela, ao futuro dos Filhos e do País.
Votos, também, para que a Caixa aumente a colocação dos seus fundos junto dos clientes,
em resultado não tanto de um incremento transitório da pressão sobre a renda de vendas,
mas sim de um acréscimo deliberado da variedade e qualidade dos fundos que oferece.

comentários mais recentes
RE: Kudos para os fundos de investimento da Caixa Há 2 semanas

Associo-me aos Kudos, mas atenção:
não durmam à sombra dos louros conquistados.
Lembrem-se que muito do mérito dos resultados conseguidos
se deve à ambição dos objectivos que foram transmitidos à Rede de Vendas
e à tradicional excelência da mesma em dar resposta às metas que lhes são fixadas,
pondo a “cabeça no cepo” pela competência dos responsáveis
pelos fundos que venderam aos clientes,
hipotecando para o futuro todo um capital de confiança que muito custou a conquistar.
Todos esperam e desejam que Vocês estejam à altura da confiança e da dedicação
que a Rede de Vendas não deixou de Vos outorgar,
e que mobilizem esforços no sentido de elevar,
até a um nível de qualidade internacional,os vossos fundos,
multiplicando também a sua variedade,
e aproveitando ao máximo uma das principais qualidades dos fundos:
a possibilidade de resposta rápida à evolução dos desejos dos clientes
e ás mudanças na conjuntura.
Kudos, prá frente e boa sorte,
pelos Clientes da Caixa, pela Caixa e por Vós.

Cuidado Caixeiros: Satisfação, sim; Euforia, não Há 2 semanas

Os resultados da Caixa serão motivos de satisfação:
para Vocês, em termos de segurança para o futuro,
para os clientes, em termos de esperança por melhores dias;
para os Politicos, em termos de deixarem de serem constantemente açoitados devido aos dramas da Vossa Casa.
Mas cuidado, Caixeiros, o amanhecer ainda não rompeu na Caixa,
e por vezes a noite é ainda mais escura antes do romper da aurora.
Reparai que o lucro que tanta satisfação deu a não deixa de ser resultado de 2 decisões melindrosas:
-Redução do que é pago aos Depositantes, numa altura em que é desesperadamente necessário incentivar a poupança em ordem a que as famílias e o País salvaguardem o seu futuro;
-Não redução significativa do grau do crédito mal parado, não provisionado.
Portanto:
Satisfação, sim, a que provavelmente todos os Portugueses, clientes ou não clientes da Caixa, se associam;
Mas euforia não, pois uma andorinha ainda não faz a Primavera

Rendibilidade fundos da Caixa face à concorrência Há 2 semanas

Regista-se um aumento de 409 milhões na colocação de fundos mobiliários da CGD.
Divulga-se a rendibilidade dos mesmos no último ano,
bem como a média das rendibilidades das 5 outras principais gestoras
(BPI, Santander, IM,Novo, Banco, Montepio), por tipo de fundo.
Em 10 tipos, os fundos da CGD apresentam-se com valor superior à média, em 4 tipos.

1-Fundos de Obrigações Euro : 2,3 / 2,6
2-F. Obrigações Taxa Indexada Euro : 1,1 / 1,0
3-FIA de Obrigações : 5,3 / 6,0
4-Fundos de Acções Nacionais : 21,3 / 27,0
5-Fundos PPA : 20,6 / 28,2
6-F. Acções da U.E., Suíça e Noruega : 8,8 / 11,0
7-F. Acções da América do Norte : 12,1 / 7,0
8-F. Acções Internacionais : 9,0 / 10,5
9-F. Multi-Activos Defensivos : 3,6 / 2,4
10-F. Multi-Activos Equilibrados : 6,7 / 6,3

Declaração de interesses:
Investidor privado, cliente da CGD, mas neste momento sem investimentos em fundos da CGD

Kudos para os fundos de investimento da Caixa Há 2 semanas

Fundos mobiliários e imobiliários da Caixa, aumentaram nível de colocação junto dos clientes, justificando felicitações para todos os responsáveis,
seja os que gerem os fundos na retaguarda,
seja os que, na primeira linha de contacto com os clientes, os colocam.
Votos para que os fundos em geral, e os da Caixa em particular,
possam ocupar o lugar que se justificaria na carteira ótima de investimentos financeiros dos Portugueses,
refletindo preocupações que, mais do que interesses circunstanciais dos bancos que os comercializam,
tomem em conta os interesses perenes de uma população portuguesa
carecendo de estímulos significativos para retornar aos caminhos de uma poupança que a sirva a Ela, ao futuro dos Filhos e do País.
Votos, também, para que a Caixa aumente a colocação dos seus fundos junto dos clientes,
em resultado não tanto de um incremento transitório da pressão sobre a renda de vendas,
mas sim de um acréscimo deliberado da variedade e qualidade dos fundos que oferece.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub