Banca & Finanças Lucros do Bankinter crescem 34% ajudados por Portugal

Lucros do Bankinter crescem 34% ajudados por Portugal

Os resultados do grupo espanhol que comprou o Barclays em Portugal foram impulsionados pelo crescimento do crédito e dos recursos. Os lucros cresceram para 400 milhões de euros.
Lucros do Bankinter crescem 34% ajudados por Portugal
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 20 de Outubro de 2016 às 10:02

O grupo Bankinter, que comprou o Barclays em Portugal, fechou os primeiros nove meses do ano com um resultado líquido consolidado de 400 milhões de euros, um crescimento de 33,6% face ao mesmo período do ano passado. Os resultados antes de impostos atingiram 547,8 milhões, um avanço de 30,7% face a Setembro de 2015.

 

Os números divulgados esta quinta-feira, 20 de Outubro, incluem dados da operação do Bankinter em Portugal – depois de concluída a aquisição de negócios de Barclays a 1 de Abril. Excluindo esta operação, os lucros do grupo espanhol seriam de 335,5 milhões de euros.

 

No período entre Janeiro e Setembro, o retorno sobre o capital investido (ROE) cresceu para 13,2%, potenciado pelo efeito positivo de Portugal. O banco espanhol também melhorou a sua estrutura de financiamento, reforçando o rácio de depósitos sobre créditos para 91%, em relação aos 83,5% de há um ano.

 

A margem de juros do Bankinter atingiu, em Setembro, os 712,8 milhões de euros, um crescimento de 10% em relação ao mesmo período de 2015. Excluindo Portugal, o avanço seria de apenas 4,4%, suportado em maiores volumes, tanto em crédito como em recursos, e uma melhoria do mix de negócio.

 

O crédito a clientes totalizou 50.386,5 milhões de euros, mais 16,2% do que há um ano, enquanto os recursos de clientes alcançaram os 43.502,8 milhões de euros, mais 30,8%.

 

Excluindo os dados de Portugal, o crédito a clientes totalizou 46.002 milhões de euros, valor representa um crescimento de 6,1%. Segundo dados do Banco de Espanha citados pelo Bankinter, no mesmo período o sector reduziu o volume de crédito em 3%, pelo que o dono do Barclays em Portugal contrariou a tendência de quebra. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


Um governo de ladrões

PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.


pub