Aviação Lufthansa quer comprar activos e criar uma “nova Alitalia”

Lufthansa quer comprar activos e criar uma “nova Alitalia”

A transportadora aérea alemã de bandeira quer adquirir activos da companhia aérea italiana e formar “a nova Alitalia”, preservando assim as perspectivas económicas de longo prazo da empresa.
Lufthansa quer comprar activos e criar uma “nova Alitalia”
Reuters
Negócios 16 de outubro de 2017 às 16:40

A germânica Lufthansa quer comprar activos da italiana Alitalia, continuando assim a sua expansão europeia. A companhia germânica não pretende adquirir a totalidade da transportadora italiana, mas sim activos seleccionados e criar uma "nova Alitalia", de acordo com um comunicado da Lufthansa, citado pela Bloomberg.

A transportadora aérea alemã defende que a sua proposta preservará as perspectivas económicas de longo prazo da companhia. Não foram, contudo, revelados os detalhes financeiros desta operação. O prazo para fazer ofertas de compra por activos da Alitalia termina esta segunda-feira.

A 2 de Maio, a administração da Alitalia iniciou os procedimentos que vão accionar a falência da companhia aérea, depois de uma reunião de accionistas, que não estão disponíveis para financiar a empresa. "Os accionistas italianos e a Etihad, com base no forte potencial de crescimento da empresa, e num plano industrial que inclui redução de custos estruturais, dos quais dois terços não eram relativos a custos laborais, estavam comprometidos a recapitalizar e financiar o plano de dois mil milhões de euros", contudo, explicava a empresa em comunicado que "este compromisso estava sujeito a um acordo com os sindicatos de trabalhadores", o que foi rejeitado.

Logo no mesmo dia, o Governo italiano aprovou a concessão de um empréstimo ponte de 600 milhões de euros à Alitalia, para permitir que a companhia aérea italiana continue a operar.

Esta decisão da Lufthansa surge pouco depois de a companhia aérea alemã ter comprado activos da Air Berlin, no valor de 1.500 milhões de euros. De acordo com as informações avançadas no final da semana passada, o grupo germânico chegou a acordo para garantir 81 aviões e três mil dos oito mil funcionários da Air Berlin.

Tanto a Air Berlin como a Alitalia tinham a Etihad Airways, a companhia do Golfo que queria construir uma rede global, como accionistas. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
surpreso Há 1 dia

Aquilo é pior do que a TAP.Vai morrer aos bocados

Saber mais e Alertas
pub