Transportes Luís Simões investe 7,4 milhões em Gaia

Luís Simões investe 7,4 milhões em Gaia

A empresa de transportes e logística Luís Simões, que gere uma frota de duas mil viaturas e emprega mais de 1.500 trabalhadores, investiu 7,4 milhões de euros na remodelação e expansão dos seus centros de operações logística e de assistência técnica em Vila Nova de Gaia.
Luís Simões investe 7,4 milhões em Gaia
A Luís Simões, que gere uma frota de cerca de duas mil viaturas, apresenta-se como operador logístico líder no mercado de fluxos rodoviários entre Portugal e Espanha
Vítor Mota/Correio da Manhã
Rui Neves 13 de junho de 2017 às 13:41

A Luís Simões recebe esta terça-feira, 13 de Junho, nas suas instalações em Vilar de Andorinho, Vila Nova de Gaia, o presidente da autarquia local, Eduardo Vítor Rodrigues, numa visita que tem como objectivo apresentar ao autarca o resultado do último grande investimento da empresa.

 

Em causa está a remodelação e expansão do Centro de Operações Logísticas e Centro de Assistência Técnica de Gaia da Luís Simões, onde a empresa investiu cerca de 7,4 milhões de euros, de acordo com fonte oficial da companhia liderada por José Luís Simões.

 

Com um efectivo de 1.508 trabalhadores, a Luís Simões gere uma frota de cerca de duas mil viaturas, próprias e subcontratadas, apresentando-se como operador logístico líder no mercado de fluxos rodoviários entre Portugal e Espanha, detendo mais de 20 armazéns, que superam os 300 mil metros quadrados, em território ibérico.

 

O centro de assistência técnica em Vilar de Andorinho é operado pela Reta, empresa do grupo Luís Simões dedicada à manutenção, reparação e venda de peças para pesados, venda e aluguer de semi-reboques e aluguer de tractores.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub