Desporto Manchester City é a equipa mais cara da história do futebol mundial

Manchester City é a equipa mais cara da história do futebol mundial

Equipa treinada por Pep Guardiola gastou 853 milhões em transferências para juntar os actuais jogadores, ultrapassando assim o Manchester United, de acordo com dados do CIES Football Observatory.
Manchester City é a equipa mais cara da história do futebol mundial
Cofina Media
Tiago Freire 11 de setembro de 2017 às 12:52
Apesar do forte investimento feito esta época em reforços, o Manchester United já não é o clube com a equipa de futebol mais cara, sendo ultrapassado pelo rival Manchester City, segundo dados divulgados hoje pelo CIES Football Observatory.

O City, treinado pelo espanhol Pep Guardiola, pagou 853 milhões de euros em transferências pelos jogadores que fazem parte do seu plantel, assegurando pela primeira vez a primeira posição neste ranking e tornando-se a equipa mais cara desde que há registos. Uma das contratações deste ano foi a do português Bernardo Silva (na foto), ao Mónaco, por cerca de 50 milhões de euros.

O Manchester United, que estava em primeiro lugar no ano passado, passou agora para terceiro, sendo também ultrapassado pelo Paris Saint Germain (o clube que mais subiu), que comprou o brasileiro Neymar Jr. e o francês Mbappé, por valores muito elevados.

Estes números contam apenas com os montantes pagos para a compra do passe dos jogadores, não incluindo salários e prémios aos futebolistas. Quando um jogador é transferido ou dispensado, desaparece destas contas o valor gasto com a sua contratação.

O top ten dos plantéis mais dispendiosos que juntar completa-se com Chelsea (644 milhões), Barcelona (628 milhões), Real Madrid (497 milhões), Juventus (470 milhões), Liverpool (437 milhões), Arsenal (416 milhões) e Tottenham (361 milhões). O Bayern de Munique saiu dos lugares cimeiros e está na 11ª posição.

Nos dez mais, há seis equipas inglesas, duas espanholas, uma francesa e uma italiana. Em termos agregados, os clubes da Premier League gastaram 5,7 mil milhões de euros nos jogadores que lá jogam actualmente, uma média de 287 milhões por equipa, o que representa uma subida de 28% face ao ano anterior.

Curiosamente, a liga italiana está na segunda posição neste indicador, apesar de ter apenas uma equipa nos dez mais da Europa. A explicação é que o investimento dos vários clubes é mais equilibrado do que em Espanha, em que os clubes de topo gastam sempre muito mais do que a média.

Esta análise centrou-se exclusivamente nas cinco maiores ligas europeias, o que exclui a portuguesa.

O Football Observatory é uma unidade de análise de estatísticas do futebol do International Centre for Sports Studies, criado em 1995 por iniciativa conjunta da FIFA, da Universidade e da cidade de Neuchatel, na Suíça.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 1 semana

Onde está o famigerado "FAIR PLAY" da Xede dos chjutadores de boila FiFas?!?!

De onde vem todos este MILHOES ?!?!!?
Nem se macem em averiguar.....

Anónimo Há 1 semana

hajam bimbos nos estadios...LOL..

pub
pub
pub
pub