Transportes Manifestação de taxistas e ameaças a secretário de Estado levam PSP a reforçar segurança

Manifestação de taxistas e ameaças a secretário de Estado levam PSP a reforçar segurança

A manifestação dos taxistas contra a legalização da Uber e do Cabify deve juntar seis mil táxis. A PSP reforçou a segurança nas ruas de Lisboa mas também junto do secretário de Estado do Ambiente.
Manifestação de taxistas e ameaças a secretário de Estado levam PSP a reforçar segurança
Bruno Simão
Negócios 07 de Outubro de 2016 às 09:37

Na próxima segunda-feira são esperados seis mil taxistas nas ruas da capital para protestarem contra a legalização da Uber e da Cabify, metade da frota existente no país. Previsões, por parte do sector do táxi, que levaram a PSP a planear uma operação reforçada de segurança, como conta o Diário de Notícias esta sexta-feira, 7 de Outubro.

Um subgrupo do Corpo de Intervenção, com pelo menos 30 elementos, vai estar destacado para o Parlamento, local onde terminará a manifestação dos taxistas que vai ter o Parque das Nações como ponto de partida. Mas a polícia tem mais elementos de reserva para caso seja necessário, detalha o mesmo jornal.

Mas o reforço dos elementos da segurança não fica por aqui. Como revela o Público, a segurança pessoal do secretário de Estado do Ambiente, José Mendes, também foi reforçada após alegadas ameaças ao governante no Facebook por parte de elementos do sector dos táxis. Em causa está o descontentamento do novo diploma para legalizar as plataformas electrónicas de transporte de passageiros que deverá ser votado no dia 13 de Outubro no Conselho de Ministros.

Conta o jornal que a publicação de fotos do secretário de Estado e de familiares numa página criada no Facebook denominada "Portugal Revolução", com legendas insultuosas, levou a PSP a considerar que se tratava de uma avaliação de risco e, assim, reforçar a segurança. Alguns comentários nesta página apelam à morte do governante.

O governante já era acompanhado por elementos do corpo de segurança pessoal da PSP ocasionalmente. Mas após a avaliação da PSP, que contou também com dados do Sistema de Informações de Segurança, passou a andar sempre acompanhado por seguranças.

Questionado pelo público sobre esta situação, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi, Carlos Ramos, respondeu: "Dizem que os taxistas são violentos, mas quem começou com a violência, quem nos insultou, chamando-nos a todos vigaristas foi o secretário de Estado".


No que toca às ameaças concretas ao governante, diz que "talvez haja uns palavrões e palavras pouco simpáticas deixadas em páginas de Facebook", mas não acredita que vá acontecer alguma coisa ou que persigam José Mendes.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
12000 e um Há 3 semanas

MOTIVO DA MANIFESTAÇÃO DOS TAXISTAS: - Os taxis apenas pedem duas coisas muito simples. Que se faça cumprir a lei e Direitos e Deveres, iguais para todos os operadores de transportes ligeiros de passageiros(taxis, uber, cabify, etc), é o que se pretende! 10 de Outubro de 2016 "TODOS A LISBOA"!

Anónimo Há 3 semanas

Será possivel que ninguem se preocupe com a ilegalidade da uber?
pois se vão regular a actividade é porque actualmente não está

Anónimo Há 3 semanas

Esta escumalha fez sempre o que quis, agora os governantes tem o que merecem. Desde enganar clientes à exigência de benesses.

pdlp Há 3 semanas

OS TAXISTAS PORTUGUESES SÃO OS AL CAPONES DESTE SÉCULO.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub