Empresas Manuel Champalimaud: Os CTT “ou se modificam ou desaparecem”

Manuel Champalimaud: Os CTT “ou se modificam ou desaparecem”

O fundador da Gestmin revela ao Expresso que o seu investimento na empresa de correios é "estratégico". No entanto, sublinha que os CTT têm de estar "irreconhecíveis" daqui a cinco anos para sobreviverem.
Manuel Champalimaud: Os CTT “ou se modificam ou desaparecem”
Pedro Elias
Negócios 27 de janeiro de 2018 às 11:48

O fundador da Gestmin, maior accionista dos CTT, garante que o seu investimento na empresa de correios não é uma aposta de curto prazo. Pelo contrário, é um investimento "estratégico", segundo revelou em entrevista ao Expresso, acrescentando que "estamos nos CTT para ficar para sempre".

"É um negócio que conheço e entendo. A escala é nacional, pode-se ir buscar sinergias e aproveitar o desenvolvimento tecnológico", disse ao Expresso Manuel Champalimaud, sublinhando que enquanto o serviço universal postal está em contracção, o negócio expresso e encomendas está em crescimento. Este último, juntamente com os serviços financeiros são apontados pelo criador da Gestmin como as verdadeiras "alavancas de crescimento" da empresa.

O empresário, que no início do mês de Janeiro reforçou a sua participação nos CTT para mais de 12%, reconhece, porém, que a empresa tem de mudar e de superar "a paralisia" na estrutura, que não acompanhou a evolução do negócio, quer ao nível do pessoal quer das infraestruturas.

"Os CTT quer queiram quer não ou se modificam e daqui a cinco anos estão totalmente diferentes ou desaparecem. Os CTT têm de estar irreconhecíveis daqui a cinco anos", afirmou um declarações ao Expresso.

Sobre os apelos à nacionalização levantados pelos partidos à esquerda e pelos sindicatos, Champalimaud diz que se trata de "aproveitamento político pernicioso" e caça ao voto. "As grandes empresas são a coutada preferencial para caçar votos, e os CTT são a quarta maior empresa em número de trabalhadores em Portugal. Há falta de qualidade nos sindicatos", acrescenta.

Questionado sobre as novas exigências impostas pela Anacom à empresa, o fundador da Gestmin diz tratar-se de uma "fórmula impossível". "Se querem oferecer o serviço universal naqueles moldes vai ter de ser outra empresa a prestá-lo e o contribuinte a pagar", adianta o empresário.

 




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 27.01.2018

A empresa pública de correios sueco-dinamarquesa Postnord decidiu em Março de 2017 despedir 4 mil excedentários cujo posto de trabalho já não se justificava naquela organização do sector público escandinavo. Naquela região nórdica os direitos sindicais adquiridos não se sobrepõem aos dos contribuintes e cidadãos em geral. É 1º Mundo onde não reinam a iniquidade e a insustentabilidade. Despedem excedentários, extinguem postos de trabalho que já não se justificam, adoptam as melhores práticas e tecnologias. A economia é robusta, cria valor e enriquece, a sociedade é justa, equilibrada e feliz. "Postnord to cut up to 4,000 jobs in Denmark" www.reuters.com/article/postnord-jobs-idUSL5N1GL4QG

comentários mais recentes
CTT, 28.01.2018

Lamento dizer , mas enquanto o pc e o bloco, fazerem parte da getingonca, as
.Empresas como os ctt nao tem hopoteses , eu vendi tudo dos ctt, a perder, as acoes vao dar muitos tombos, e cair para 3.00 euros.

Anónimo 28.01.2018

Os CTT só têm uma solução. Vendam.

Anónimo 28.01.2018

Caro Manuel. Permita-me trata-lo assim. Gostaria que me explica-se, como se eu tivesse 5 anos, como e que os estado faz negocios(atas) que sao todas espetaculares, mas que ao fim de 2 ou 3 anos, comecam a vir as facturas dessa espetacularidade. nao ha uma, e digo mais, UMA, unica negociata que seja vantajosa para o erario publico, e por conseguinte para a populacao. E pergunto mais, Caro Manuel, como e que os supostos negociadores continuam impunes e tao cheios de soberba, que nao lhe cabe uma azeitona nos entrafolhos, pavoneando a sua - incompetencia- para nao chamar outra coisa. Caro Manuel, e assim que o Sr. gere as suas emporesas? E neste momento continuamos com uma cortina de fumo global, apadrinhada por uma esquerda e uma mentalidade terceiro mundista. Ao longo dos anos o sangue lusitano foi-se diluindo. De grandes vultos do passado passamos para pessoas pequenas em estatura etica e moral. Nao acredito que o problema seja a incompetencia.

SONAE CAPITAL 28.01.2018

Sonae Capital , esta no topo das cotadas do ps-20 'com,nota 10' a mais alta de todas. Paga o melhor dividendo. 10 centimos, rentabilidade de 10% ao ano. Isto sim e uma grande Empresa.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub