Desporto Marca Leixões em hasta pública por 25 mil euros para pagar dívida a antigo treinador

Marca Leixões em hasta pública por 25 mil euros para pagar dívida a antigo treinador

A marca Leixões está em leilão, por decisão do tribunal, por 25 mil euros no decurso da sentença que ditou uma indemnização de 70 mil euros a Gabriel Machado, antigo coordenador do futebol juvenil do clube.
Marca Leixões em hasta pública por 25 mil euros para pagar dívida a antigo treinador
Lusa 25 de setembro de 2017 às 15:43

O funcionário do Leixões entre 2005 e 2015 agiu judicialmente por a anterior direcção somar salários em atraso, que na altura ascendiam a cerca de 3,5 mil euros. 

 

Em declarações à Lusa, o actual presidente do Leixões, Duarte Anastácio, explicou que a anterior direcção "não compareceu às duas sessões do julgamento", acabando o clube "julgado à revelia" e condenado a pagar "70 mil euros de indemnização" ao antigo funcionário.

 

"Ainda tentámos chegar a acordo, mas não foi possível", lamentou Duarte Anastácio, acrescentando "já terem sido pagos 15 mil euros" a Gabriel Machado, a quem acusou de "falta de ética" pelo comportamento adoptado.

 

Perante a impossibilidade de o Leixões pagar o que resta da dívida, o tribunal avançou com o leilão da marca Leixões Sport Clube, no valor de 25 mil euros, e que estará online até 26 de Outubro de 2017.

 

"Soubemos do leilão no fim-de-semana", disse Duarte Anastácio, manifestando dúvidas quanto à "legalidade" da decisão do tribunal, razão pela qual o assunto "foi entregue ao departamento jurídico".

 

O leilão tem um valor de abertura de 12.500 euros e o valor mínimo pelo qual pode ser adquirida a marca é de 21.250 euros, não tendo até ao momento sido feita nenhuma licitação.

 

Contactado pela Lusa, Gabriel Machado não se mostrou disponível para prestar esclarecimentos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub