Web Summit Marcelo tem “esperança” que Web Summit fique em Lisboa por mais anos

Marcelo tem “esperança” que Web Summit fique em Lisboa por mais anos

O presidente da República deixou uma palavra de esperança de que o Web Summit se realize nos próximos anos em Portugal. E criticou algumas decisões políticas que estão a impedir "a revolução digital".
Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão Bruno Simão Bruno Simão Bruno Simão Bruno Simão Bruno Simão Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócio Bruno Simão/Negócio Bruno Simão/Negócio Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios Bruno Simão/Negócios
Sara Ribeiro 09 de novembro de 2017 às 18:10

Depois de o antigo vice-presidente dos EUA, Al Gore, ter subido ao palco do Web Summit, com o Altice Arena completamente cheio, o presidente da República portuguesa foi o convidado para encerrar os quatro dias [o dia de arranque e os três dias de evento] da maior cimeira de empreendedorimo e tecnologia.

 

"Não é justo falar depois de Al Gore e em cinco minutos. Mas vou tentar", começou por dizer Marcelo Rebelo de Sousa, que conquistou de imediato a plateia.

 

O Presidente da República começou por dar os parabéns a todos os que fizeram parte do Web Summit. E também "aos empreendedores em todo o mundo que estão a fazer uma revolução. Vocês são os transformadores. Estão a mudar o mundo, não só a economia como a sociedade e a maneira de viver", sublinhou.

 

Durante o seu discurso, em inglês e por várias vezes aplaudido pela plateia, Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou para responder à intervenção de Al Gore: "Portugal mantém-se no Acordo de Paris" e "queremos continuar".

 

O Presidente português aproveitou ainda para deixar alguns recados, nomeadamente à regulação e decisões políticas, considerando que alguns políticos têm dificuldade em aplicar medidas que sejam benéficas para esta revolução. "Muitas das decisões políticas estão atrasadas tendo em conta esta revolução", referiu.

 

Por fim, terminou o discurso dizendo que uma das palavras que gostaria de destacar no encerramento da cimeira é: "esperança". "Espero que o ponto de encontro, não só em 2018 mas nos próximos anos, seja Lisboa. Portugal merece. Lisboa merece".

 

Por isso, "no próximo ano, à mesma hora, no mesmo local, vejo-vos a todos". Foi com este "see you all" que Marcelo Rebelo de Sousa encerrou a segunda edição do Web Summit em Lisboa, tendo, depois, abraçado fortemente Paddy Cosgrave, o CEO do evento.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 1 semana

Enquanto o selfie pede muita e por mitos anos FICCAO CIENTIFICA,os outros paises que nos rodeam continuam a olhar para a realidade.

Carlos Maia Há 1 semana

Caro Miguel Cunha, também já coloquei as minhas ações dos CTT à venda por 6,50€ até Janeiro de 2018. Não sei isto serve para alguma coisa, mas se todos fizerem o mesmo pode ser que dê algum resultado. Passem a mensagem, as redes sociais podem ser uma "arma nova" a favor dos pequenos acionistas.

Miguel Cunha Há 1 semana

Sugiro a todos os pequenos acionistas dos CTT (que representam cerca de 70% da estrutura acionista) que coloquem as suas ações à venda por um valor superior a 5,60€ durante os próximos meses, impedindo assim algumas "jogadas" pouco éticas que parecem estar a acontecer.

General Ciresp Há 1 semana

Pode-se saber quanto custou a palestra do al gore?povo IGNORANTE com o selfie ha cabeca.

pub