Telecomunicações Mário Vaz não sabe "muito bem" como vai "explicar ao accionista" se a compra da TVI avançar

Mário Vaz não sabe "muito bem" como vai "explicar ao accionista" se a compra da TVI avançar

O líder da Vodafone Portugal voltou a defender que a compra da Media Capital por parte da Meo "não pode ser aprovada". E se for, Mário Vaz não saberá como explicar ao accionista.
Mário Vaz não sabe "muito bem" como vai "explicar ao accionista" se a compra da TVI avançar
Bruno Simão/Negócios
Sara Ribeiro 03 de outubro de 2017 às 13:52

O líder da Vodafone Portugal voltou a defender que a compra da Media Capital pela Altice "não pode ser aprovada" por considerar que terá impactos negativos "para o país e para a democracia".

 

Para Mário Vaz, a operação não pode obter luz verde nem com a implementação de remédios por parte dos reguladores: "Remediar com remédios é um não remédio. A operação é prejudicial para o país".

 

Caso a compra seja aprovada, Mário Vaz confessa que não sabe "muito bem" como vai "explicar isto ao accionista". Mas como no seu entender este negócio não pode ser aprovado, é um assunto que acredita que não terá de falar com a casa-mãe.

A operação, que foi notificada à Autoridade da Concorrência em Agosto, precisa do aval da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) que, a par com o regulador da concorrência, tem parecer vinculativo.

A Anacom, regulador do sector de comunicações, já emitiu um parecer desfavorável à operação por poder colocar "entraves significativos à concorrência efectiva nos mercados de comunicações electrónicas".

Apesar de este parecer não ser vinculativo pode influenciar os outros reguladores e antecipar a aplicação de remédios, ou seja, alterações nos termos do negócio. O próximo passo terá de ser dado pela ERC, que tem de se pronunciar até 10 de Outubro.

(Notícia actualizada às 14:50 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub