Banca & Finanças Marques Mendes: Novo Banco só terá portugueses na comissão executiva

Marques Mendes: Novo Banco só terá portugueses na comissão executiva

O processo de venda ao fundo norte-americano aproxima-se do fim e, com a transição para a Lone Star, deverá ficar apenas com portugueses à frente da comissão executiva. Já no conselho de administração ficarão apenas estrangeiros.
Marques Mendes: Novo Banco só terá portugueses na comissão executiva
Jorge Paula/Correio da Manhã
Paulo Zacarias Gomes 08 de outubro de 2017 às 20:58
Depois de o Novo Banco ter garantido uma folga de solidez de 500 milhões de euros com a compra de dívida a obrigacionistas, Luís Marques Mendes diz que estão a ser dados os últimos passos para transferir a titularidade da maior parte do Novo Banco do Fundo de Resolução para a Lone Star.

De acordo com o comentário do antigo presidente do PSD na noite deste domingo na SIC, sob a liderança do fundo norte-americano a comissão executiva do banco que há três anos sucedeu ao Banco Espírito Santo não contará com membros estrangeiros, sendo assim todos os membros de nacionalidade portuguesa. 

"Basicamente [a comissão executiva] é a actual. António Ramalho tem feito um bom lugar," afirma sobre o presidente do banco.

Já no conselho de administração, porém, a situação será a inversa: não haverá portugueses sentados à mesa mas apenas estrangeiros, enquanto administradores não executivos. "Se algum português estava à espera de ir para aquele lugar, perdeu a oportunidade," acrescentou. 

O comentador sublinhou ainda a intenção já conhecida de o Lone Star "injectar" este ano de uma só vez os previstos mil milhões de euros no banco, bem como o facto de a operação receber já esta semana de Bruxelas a decisão de autorização da Direcção Geral da Concorrência.

O Negócios noticiou na semana passada que o Governo esperava que Bruxelas concluísse o processo de aprovação do plano de reestruturação do Novo Banco no início desta semana, faltando apenas a aprovação formal do Colégio de Comissários depois de alcançado o acordo técnico entre o Executivo português e a comissária da Concorrência.

A luz verde de Bruxelas ao plano de reestruturação do Novo Banco deve ocorrer entre terça e quarta-feira, dias em que habitualmente se reúnem os comissários, segundo o Negócios.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Este passou de Banco a Banqueta... Há 1 semana

E terá uma comissão executiva de enfeite só com Portugueses, assim fica mais verdadeiro.

Anónimo Há 1 semana

Novo Banco passa a Holy Ghost Bank

pub
pub
pub
pub