Construção Martifer afunda 6% após prejuízos

Martifer afunda 6% após prejuízos

A divulgação dos resultados negativos, de 43,6 milhões de euros em 2016, está a penalizar a negociação bolsista da Martifer. As acções afastam-se do máximo de dois anos.
Martifer afunda 6% após prejuízos
Diogo Cavaleiro 18 de abril de 2017 às 10:49

A sessão bolsista desta terça-feira, 18 de Abril, a primeira após o encerramento para as festividades da Páscoa, está a ser negativa para a praça de Lisboa. A Martifer está em destaque pela dimensão das suas perdas.

 

As acções da empresa presidida por Carlos Martins (na foto) estão a cair 6% para valer 28 cêntimos, tendo já afundado mais de 10% durante a manhã. O índice PSI-20, do qual a Martifer não faz parte, está a ceder 1,1% num dia de perdas em toda a Europa.

 

Há uma pressão vendedora das acções da construtora na sessão desta terça-feira. Foram negociados 50 mil títulos quando a média, por sessão dos últimos seis meses, é de 34 mil papéis.

 

O recuo segue-se à apresentação de resultados na passada quinta-feira, após o fecho de mercados. A empresa de construção e de energias renováveis teve, em 2016, um prejuízo de 43,6 milhões de euros, face ao resultado líquido negativo de 500 mil euros reportado no ano anterior.

 

A queda registada esta terça-feira afasta a Martifer, que negoceia a construção de três embarcações para a Douro Azul, do máximo de dois anos que a sua cotação registou a 12 de Abril, ao tocar nos 30,5 cêntimos. Desde o início de Março que a companhia tem vindo a ganhar terreno, valorizando mais de 50% em 2017.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub