Banca & Finanças Medidas que podem travar injecção de capital no Montepio
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Medidas que podem travar injecção de capital no Montepio

O Montepio tem de reforçar a sua solidez. Para evitar ter de receber dinheiro do accionista único, instituição liderada por José Félix Morgado tem de adoptar várias medidas acordadas com o supervisor
Medidas que podem travar injecção de capital no Montepio
Pedro Elias
Maria João Gago 14 de março de 2017 às 00:01

Reduzir risco em África

O Montepio tem operações em Angola (Finibanco Angola) e Moçambique (Banco Terra) que consolidada nos seus resultados. O supervisor considera estas exposiçõ

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

????????????????????????????????????

Anónimo 14.03.2017

Os despedimentos são feitos tarde e a más horas. São poucos e de má vontade. Não existe gestão de recursos humanos no país dos excedentários resgatados. Como se o excedentarismo e o próprio resgate público continuado àquele, a par com a rigidez do mercado laboral, não acarretasse gigantescos custos de oportunidade e de contexto, entre outros, que atentam ferozmente, de forma profundamente iníqua e insustentável, contra os mais elementares direitos, liberdades e garantias de todos os restantes agentes económicos.

Anónimo 14.03.2017

E despedir excedentários no banco e esperar que o governo faça o mesmo no universo do Estado. Não existe outra solução para o problema.

César Valença 14.03.2017

A quantidade de políticos passíveis de corrupção é inacreditável ! Será o "ar do tempo" o tal "Zeit geist" ?
Recordo-me que em pequeno ,alguns meus Tios consideravam que os sistemas parlamentares produziam corrupção . É triste verificar que o que se passa é pelo menos estranho !

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub