Transportes Medina diz que apreciação do PCP sobre Carris é "só um debate"

Medina diz que apreciação do PCP sobre Carris é "só um debate"

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que a apreciação parlamentar do diploma que transfere a Carris para o município, requerida pelo PCP, é "só um debate, um diálogo", que será travado com confiança e convergência entre parceiros.
Medina diz que apreciação do PCP sobre Carris é "só um debate"
Lusa 30 de janeiro de 2017 às 19:58

"Estou profundamente convicto de que esta é a melhor solução. É a solução que está em vigor e que irá estar em vigor no resto do país: os municípios deterem a gestão dos sistemas de transporte rodoviário. Há naturalmente um diálogo a ter e que deve ser tido com normalidade e tranquilidade e também com um aspecto: com a confiança entre parceiros que também tiveram uma batalha em comum pela defesa do transporte público", disse Fernando Medina.

 

O autarca destacou a "convergência" com o PCP em relação ao fundamental: o transporte público e o seu desenvolvimento. "Ninguém entenderia, aliás, que quem se bateu tanto pela defesa do transporte público depois não se entendesse sobre a forma da concretização desse direito ao transporte público. Por isso, aguardo com toda a serenidade o desenvolvimento desse diálogo entre partidos, agora fora da esfera da Câmara", frisou o autarca.

 

Para Fernando Medina, que falava aos jornalistas à margem da inauguração de um mural de homenagem ao arquitecto Nuno Teotónio Pereira, na freguesia de Alvalade, a apreciação parlamentar "é só um debate, um diálogo que se irá travar com normalidade, com serenidade e com a compreensão sempre mútua de que há uma convergência sobre um aspecto de fundo que é o transporte público".

 

O PCP reiterou hoje que ainda vai decidir, até ao debate da apreciação parlamentar que requereu à municipalização da Carris, se apresenta propostas de alteração ou avança para a eliminação do diploma do Governo socialista.

 

"Acho que com toda a naturalidade, com toda a serenidade, poderá ser feito o debate relativamente ao decreto, à forma, até precisar e explicitar melhor algumas opções do decreto, que são, aliás, opções gerais no país, como o facto de os sistemas serem municipalizados, como é o que acontece na generalidade do país e vai acontecer até 2019 em todo o país. E, por isso, encaro com tranquilidade e serenidade esse pedido", sublinhou Fernando Medina.

 

O presidente do município de Lisboa "não crê" que esta iniciativa do PCP venha a representar para o Governo uma situação idêntica à da TSU, e recorda que, relativamente ao transporte público, há, "desde há muito tempo", uma convergência na cidade de Lisboa dos partidos à esquerda, a qual permitiu "travar a concessão" da empresa a privados, o que iria trazer "grave prejuízo" do transporte e do serviço público às populações.

 

"A convergência na ideia de que devemos ter mais transporte público, mais acessível a todos, mais alargado e o transporte público como espinha dorsal do sistema de mobilidade. E isso é um ponto importante de opinião comum que uniu o Partido Socialista, o Partido Comunista, o Bloco de Esquerda, outras forças progressistas na cidade, e creio que essa é a base fundamental de tudo que não deixará de estar sempre presente em todos os momentos e em todas as avaliações", vincou Medina.

 

O autarca de Lisboa acrescentou que "não confunde" a convergência no fundamental com o PCP - o transporte público, o seu desenvolvimento e o seu alargamento no futuro - com aquilo que classificou de diferenças relativamente a aspectos de "segunda ordem" sobre esta matéria.

 

O presidente da Câmara de Lisboa salientou que na quarta-feira a gestão da Carris passará para o município.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
bandido Há 2 semanas

Se o lingrinhas tivesse pescoco de boi o cadeado secalhar era-lhe mais justo.Que tipo de enfase quer o banana dar a noticia?Choninha.

pub
pub
pub
pub