Comércio Mercadona menos "super" em Gaia para abrir na Maia

Mercadona menos "super" em Gaia para abrir na Maia

A retalhista espanhola tinha previsto abrir duas lojas em Vila Nova de Gaia em 2019, mas preteriu uma dessas localizações pela "oportunidade" de chegar à Maia. Em duas semanas recebeu cinco mil currículos para 60 vagas.
António Larguesa 06 de fevereiro de 2018 às 11:23

A Mercadona anunciou esta terça-feira, 6 de Fevereiro, que decidiu instalar um dos primeiros quatro supermercados em Portugal, previstos para 2019, no concelho da Maia. Esta é uma mudança de estratégia, uma vez que o plano inicial passava por ter duas lojas em Vila Nova de Gaia já a partir do próximo ano. As outras duas ficarão localizadas em Matosinhos e Gondomar.

 

A empresa retalhista explicou em comunicado que "decidiu aproveitar a oportunidade de chegar a mais um concelho e à respectiva população". E essa hipótese surgiu na freguesia de Vermoim, no município maiato, onde comprou um terreno de 13.000 metros quadrados para construir um supermercado com uma área de vendas de 1.800 metros quadrados, uma zona para os trabalhadores e um parque de estacionamento com capacidade para 204 viaturas.

 

Questionada pelo Negócios, fonte oficial da companhia de origem espanhola confirmou que, no concelho da margem Sul do rio Douro, apenas abrirá em 2019 a loja de Canidelo. Foi nesta freguesia gaiense que na semana passada a Mercadona "devolveu" o estádio ao clube local, isto depois de ter comprado o terreno onde se situavam as suas instalações desportivas.

 

O processo de recrutamento para a nova loja na Maia arranca de imediato. Aos candidatos a operadores de supermercado é exigida a escolaridade mínima obrigatória, disponibilidade para trabalhar 40 horas semanais e "uma forte orientação para o atendimento ao cliente". Em troca, oferece-lhes um salário mensal de 897,10 euros brutos (incluídos duodécimos de subsídio de férias e Natal), subsídio de alimentação de seis euros brutos por dia trabalhado e a promessa de "promoção interna".

 

Tal como aconteceu nas 60 vagas para os outros três supermercados no Grande Porto, que já tinha aberto em meados de Janeiro, as candidaturas podem ser feitas através do site da empresa em Portugal. Para essas primeiras vagas nas lojas, a Mercadona já recebeu mais de cinco mil currículos. Apesar disso, a empresa assinala que "continua com o seu processo de recrutamento estando disponíveis para receber mais candidaturas".

Saltar a fronteira com 25 milhões no bolso

Foi em Junho de 2016 que o grupo liderado por Juan Roig Alfonso anunciou a decisão de arrancar o plano de internacionalização com a entrada no mercado português, estimando um investimento de 25 milhões de euros. Com escritórios no Porto, onde está a sede da sociedade Irmãdona Supermercados S.A., já contratou também perto de 120 profissionais para postos de direcção intermédia em Portugal.

Já em funcionamento está o Centro de Coinovação, construído na Avenida Menéres, em Matosinhos, onde a empresa líder de mercado no país vizinho está a definir e testar a gama de produtos, com o objectivo de "adaptar a sua oferta aos hábitos e preferências do consumidor português e desenvolver produtos inovadores".

Assentando o seu negócio nas chamadas lojas de proximidade, a retalhista vai também montar um centro logístico no Parque Industrial de Laúndos, no concelho da Póvoa de Varzim. Esta unidade com mais de 17 mil metros quadrados deverá estar pronta em Janeiro de 2019, de acordo com as previsões da empresa que entra para desafiar a liderança de mercado da Sonae e da Jerónimo Martins (JM).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 06.02.2018

5000 curriculuns??? Uau tanta gente a querer trabalhar! É ridículo ! Destes 5 mil curriculuns só vão querer trabalhar 50 pessoas!
Estamos em Portugal ok!
Tudo quer cheiricar mas na hora , foge

Antunes 06.02.2018

Entretanto a sonae já respondeu com a anúncio da abertura de quatro Continentes em Valência também em 2019 lol Não se fala de outra coisa naquela comunidade espanhola!

pub