Automóvel Mercedes ainda não começou a reparar veículos com problemas no airbag

Mercedes ainda não começou a reparar veículos com problemas no airbag

A marca ainda não tem uma previsão de data para chamar os modelos afectados por problemas no airbag.
Mercedes ainda não começou a reparar veículos com problemas no airbag
André Cabrita-Mendes 08 de janeiro de 2018 às 14:49

A Mercedes-Benz ainda não começou a chamar os clientes em Portugal com automóveis afectados por problemas no airbag. 

 

A marca alemã avança que a intervenção não tem custos para o cliente e que quando tiver a operação preparada chama os clientes através de carta.

"[As intervenções] ainda não começaram a ser efectuadas, mas assim que houver novidades os clientes vão ser chamados através de uma carta enviada directamente pela Mercedes-Benz", disse o responsável pelo pós-venda da marca em Portugal, Gustavo Arroz, esta segunda-feira, 8 de Janeiro.

Questionado sobre qual o número total de automóveis que vão ser chamados, o responsável disse ainda não ter um número exacto.

Entre os modelos identificados encontram-se os "classe A, classe B, GLA. São uma quantidade considerável de viaturas, mas não tenho um número preciso", afirmou Gustavo Arroz.

"Há umas questões relacionadas com a ligação à terra do airbag. As operações são feitas sem custos para o cliente", garantiu Gustavo Arroz.

 

A marca deu conta deste problema em Outubro garantindo que a segurança dos passageiros não está em risco.

Em todo o mundo, esta chamada à oficina afecta os modelos Classes A, B, C, E e ainda CLA, GLA e GLC, sendo abrangidas viaturas vendidas entre Novembro de 2011 e Julho de 2017, avançou a Reuters em Outubro. Só na Europa e nos Estados Unidos deverão ser chamados um milhão de veículos às oficinas.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 08.01.2018

Boa CEna

Saber mais e Alertas
pub