Empresas Microcrédito financia criação do próprio emprego

Microcrédito financia criação do próprio emprego

Bancos disponibilizam créditos de baixos montantes com condições mais vantajosas para empreendedores
Microcrédito financia criação do próprio emprego
Bruno Simão/Negócios
Raquel Godinho 28 de janeiro de 2014 às 00:24

Está desempregado? Quer montar o seu próprio negócio mas não tem dinheiro? Desenvolva uma ideia de negócio e procure o banco. O microcrédito pode ser o meio para atingir o objectivo. Algumas instituições financeiras disponibilizam financiamentos de baixos montantes e com condições mais vantajosas. Pode ainda pedir o apoio de organizações que acompanham o projecto até ao fim.

A crise levou a taxa de desemprego em Portugal para o nível mais elevado de sempre. O microcrédito destina-se sobretudo a pessoas desempregadas, com empregos precários ou que estão à procura do primeiro emprego. Funciona como alternativa ao crédito tradicional, que nos últimos anos tornou-se mais difícil e caro, e apresenta condições mais vantajosas, nomeadamente no que se refere à taxa de juro, prazos de reembolso e garantias associadas.

Nas soluções de microcrédito, a taxa de juro resulta da soma da Euribor (a três, seis ou doze meses) a um "spread" que pode ir dos 1,7% aos 6%. Os bancos disponibilizam também soluções em parceria com a Santa Casa da Misericórdia e associações como a Associação Nacional de Jovens Empresários e a Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC). Além disso, está em vigor, desde 2010, o Programa Nacional de Microcrédito, desenvolvido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), em parceria com a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES).

Este programa lançado pelo Governo não exige que seja apresentado um fiador, uma vez que o empréstimo é garantido pelas Sociedades Portuguesas de Garantia Mútua. A linha de crédito Microinvest dirige-se a desempregados, jovens entre os 18 e os 35 anos à procura do primeiro emprego, trabalhadores independentes cujo rendimento médio mensal, no último ano, esteja abaixo da retribuição mínima mensal garantida e a quem nunca tenha exercido actividade profissional por conta própria ou de outrem.

Esta linha financia ideias de negócio até um máximo de 20 mil euros, com um prazo de reembolso de cinco anos. A taxa de juro fixada resulta da soma da Euribor a um mês e 0,25%, com taxa mínima de 1,5% e máxima de 3,5%. É ainda disponibilizado um prazo de dois anos de carência de capital.

 

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Angustiado 28.01.2014

Mas sempre com o aval do sócio, da família do sócio e de todas as pessoas que o sócio conhece para que a banca tenha risco zero!

comentários mais recentes
Angustiado 28.01.2014

Mas sempre com o aval do sócio, da família do sócio e de todas as pessoas que o sócio conhece para que a banca tenha risco zero!

Anónimo 28.01.2014

boa.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub