Automóvel Miguel Sanches: "Preço do T-Roc será a partir de 25 mil euros"

Miguel Sanches: "Preço do T-Roc será a partir de 25 mil euros"

O novo modelo da Autoeuropa foi apresentado ao mundo esta quarta-feira. O SUV citadino chega aos stands portugueses no final do ano e vai custar 25 mil euros a versão base, revela o director-geral da Autoeuropa, Miguel Sanches.
Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen Volkswagen
André Cabrita-Mendes 23 de agosto de 2017 às 21:14
O novo modelo em produção na Autoeuropa , o T-Roc, é a aposta da Volkswagen (VW) no segmento SUV, que a marca quer liderar, revela Miguel Sanches.

O que é que representa o novo modelo para a Autoeuropa?
Representa um grande processo de crescimento. A fábrica produzia até agora modelos de nicho, o T-Roc é um SUV novo no portefólio da VW, é um carro de grande volume. Significa entrarmos na liga das grandes fábricas em termos de dimensão. Para a região significa mais emprego e um contributo importante para o desenvolvimento da economia portuguesa.

Este modelo rompe com algum conservadorismo da VW. Qual é o toque de vanguarda?
O toque de vanguarda é que é um SUV de entrada, que se posiciona abaixo do VW Tiguan, até agora o modelo de entrada nos SUV da Volkswagen. O que o torna diferente é combinar a versatilidade de um utilitário com uma imagem mais desportiva de um coupé. Também a nível de cores, terá 11 cores de carroçaria combinadas com quatro cores de tejadilho como opção, o que torna o carro bastante apelativo para uma clientela mais desportiva, mais dinâmica, mais jovem.

Em investimento tecnológico, o que trouxe à Autoeuropa?
Este carro partilha a plataforma MQB, comum à restante gama de carros do grupo. Foi feito um investimento forte em tecnologia para dotar a Autoeuropa da capacidade de produzir modelos com a plataforma MQB. Para dotar a fábrica da capacidade de pintar carroçaria e tejadilho em cores diferentes foi feito um investimento significativo num novo edifício de pintura.

Quando é que o T-Roc chega aos stands?
A introdução de mercado na Alemanha vai ser em inícios de Novembro, em Portugal vai ser no final de Novembro, início de Dezembro.

A Autoeuropa vai produzir o T-Roc para que países?
Para todos os mercados, excepto China, que terá o seu próprio T-Roc numa versão ligeiramente diferente, e América do Norte, para onde ainda não há previsão. De resto, o T-Roc vai ser produzido em Portugal para todo o mundo.

Já se sabe quanto vai custar o T-Roc em Portugal?
Penso que as versões base andarão nos 24 mil a 25 mil euros.

O objectivo é ser líder do mercado neste segmento?
O objectivo é sermos líderes no que fabricamos. Fomos líderes muitos anos no segmento MPV, com o Sharan, Alhambra e Ford Galaxy, em parceria com a Ford. O segmento dos SUV está em grande crescimento. Já disse aos colaboradores que a Autoeuropa vai deixar de ser a fábrica do MPV para ser a fábrica do SUV. O T-Roc é parte da ofensiva SUV da VW e pretende-se que seja líder de mercado.

Quais podem ser as vendas?
Vamos produzir 180 mil a 190 mil unidades por ano.

Já temos encomendas de todos os mercados. Vamos começar a fabricar encomendas de cliente final. Miguel Sanches
Director-geral da Autoeuropa


É a previsão de vendas anual?
Exactamente.

O mercado está a corresponder em encomendas?
Claro. Em 2015 tínhamos uma estimativa, mas com o crescimento do segmento SUV as expectativas foram aumentando. Existe muito interesse do mercado.

As encomendas são de onde?
Já temos encomendas de todos os mercados onde estamos a planear. Vamos começar já a fabricar encomendas de cliente final.

O T-Roc abre a porta a um novo modelo?
Não existe para já outro modelo, mas para nos mantermos dentro dos compromissos assumidos com a casa-mãe é bastante importante continuarmos activos na procura de um novo modelo para dar continuidade ao segmento MPV e ao T-Roc.

Quais é que vão ser as motorizações do T-Roc?
O T-Roc vai ser equipado com cinco motores, duas caixas, 11 combinações motor-caixa. Motores gasolina com 1.000 centímetros cúbicos (CC), 1.500 CC e 2.000 CC. Motores diesel com 1.600 CC e 2.000 CC. E há o motor 1.000 CC, com três cilindros, bi-turbo, bastante atraente do ponto de vista de performance e, em países onde a carga fiscal incide sobre a cilindrada, será um modelo bastante competitivo.

Vai haver versão eléctrica?
Não está para já prevista versão eléctrica nem híbrida. Não me espantaria que mais tarde fosse equacionada a versão híbrida, mas dependerá do sucesso do carro no mercado e da capacidade da Autoeuropa conseguir cumprir com os requerimentos dos clientes, do mercado.

O SUV que "personifica liberdade"

Um SUV citadino que "personifica a liberdade". É assim que o novo modelo da Autoeuropa foi descrito pelo presidente executivo da VW, Herbert Diess, na apresentação do modelo em Itália esta quarta-feira. O T-Roc vai mais do que dobrar a produção da fábrica da Palmela em 2018 para 240 mil automóveis. O contributo da fábrica portuguesa vai ser importante para a estratégia de crescimento da marca, que espera um disparo das vendas quando a sua gama de SUV estiver completa, num total de 19 em todos os mercados onde está presente, incluindo o T-Roc. "Porque é que existe uma forte procura por SUV? A posição de condução é elevada, os carros têm um bom espaço, mas este tipo de carro expressa um valor importante da mobilidade. Mobilidade significa liberdade individual e é por isso que adoramos carros", afirmou Herbert Diess na apresentação em Itália.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Filipe 25.08.2017

25.000 € por um 1.0?

Anónimo 24.08.2017

Até parece que é barato.
Se dividir 25,000 euros por 72 meses sai a modica quantia de 347 € mês mais combustivel e extras por um cangalho novo que faz o mesmo que um velho que é queimar KM.
Portanto é um bom carro para quem quer ser um escravo da divida.

Anónimo 24.08.2017

Julgo que são carros que vão para a Alemanha para lhe fazerem a rodagem e depois voltam como sucata.

Anónimo 23.08.2017

Falta saber se traz alguma fraude como brinde.

ver mais comentários
pub