Transportes Ministro do Ambiente: taxistas não deram “contributo útil” para regular Uber

Ministro do Ambiente: taxistas não deram “contributo útil” para regular Uber

Ao Diário de Notícias, João Matos Fernandes considerou que o anterior Governo “empurrou o problema com a barriga” na hora de regular as plataformas de mobilidade. Aos taxistas recusa um contingente de carros na Uber e Cabify.
Ministro do Ambiente: taxistas não deram “contributo útil” para regular Uber
Miguel Baltazar
Negócios 20 de Outubro de 2016 às 09:22

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, admitiu que os taxistas portugueses não deram um "contributo útil" para a regulação das plataformas de mobilidade Uber e Cabify.

"Os pareceres deles foram a dizer não, portanto, não deram um contributo útil", considerou numa entrevista ao Diário de Notícias esta quinta-feira, 20 de Outubro.


A maior contestação do sector do táxi – a imposição de um limite de carros a operar para as plataformas – é uma questão rejeitada pelo Governo. "Não vai haver contingentação", garantiu o ministro.


João Matos Fernandes criticou ainda a acção do antigo Governo em relação a este dossiê, considerando que o que este fez foi "empurrar o problema com a barriga".


"Houve bom senso, por parte das associações dos senhores taxistas, em não persistir num protesto que era ilegal", reconheceu perante o bloqueio da Rotunda do Relógio, em Lisboa.


Ao Diário de Notícias, o ministro do Ambiente comentou ainda algumas medidas do Orçamento na sua pasta, considerando-o "bom". Entre elas, a "taxa bala" que prevê o pagamento de dois cêntimos por cada munição.


"Aquilo que nós queremos, sabendo que, por ano, se dispersam na natureza 150 a 200 toneladas de chumbo através da caça, sabendo que há já alternativas de cartuxo de aço, de facto cobrar uma taxa, não para prejudicar a caça mas para que também a caça deixe de utilizar chumbo", argumentou.




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 22.10.2016

Regular? Se tem de regular, é porque está irregular. E se está irregular como é que continua a trabalhar IRREGULARMENTE como se nada se passasse. Serâ que estes senhores da uber estão acima da lei?

Fernando Maio 20.10.2016

Os taxistas que vão mamar na quinta perna do burro.

António da Costa-Pereira 20.10.2016

E este "soit-disant governo" - chegou a prometer 20 e tal milhões aos taxistas, quando começou todo este "Disparate Descontrolado" !! Ou não ???!!!

Anónimo 20.10.2016


Um governo de ladrões

FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


Lá vem mais dinheiro para a malta dos direitos adquiridos...

E mais impostos para os outros portugueses.


Viver à custa dos outros é muito bom.

Mas para quem paga... não tem piada nenhuma.


ver mais comentários
pub
pub
pub
pub