Banca & Finanças Minsheng quer usar Novo Banco para expansão na Europa

Minsheng quer usar Novo Banco para expansão na Europa

O grupo chinês quer aproveitar a base de depósitos do banco português para aumentar a sua actividade na Europa, tirando partido da "base natural de clientes" existente, por exemplo, na Alemanha.
Minsheng quer usar Novo Banco para expansão na Europa
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 16 de Novembro de 2016 às 11:23

O grupo chinês China Minsheng Financial Holding Corp, um dos interessados na compra do Novo Banco, considera que a potencial aquisição da instituição que herdou os activos saudáveis do BES abre portas para a expansão a outros mercados europeus.

"Já estamos há algum tempo na Europa. Não vemos que os investimentos sejam assim tão politicamente sensíveis," afirma Wang Ren, administrador financeiro do China Minsheng Financial, em entrevista à Reuters, acrescentando que a sua empresa pode usar a base de depósitos do Novo Banco para expandir a sua actividade noutros países europeus.

O responsável – que não quis acrescentar pormenores sobre a oferta em curso em Portugal - refere desde logo a "base natural de clientes" existente na Alemanha, onde nos últimos anos várias companhias chinesas compraram 200 pequenas e médias empresas.

A 'holding' China Minsheng propõe ser accionista do Novo Banco através da opção de venda em mercado. Na corrida à compra da instituição apresentaram propostas na venda directa os bancos BCP e BPI e os fundos Apollo/Centerbridge, em parceria, e a Lone Star.

O braço de investimento do maior fundo privado chinês estima ainda que as compras nos Estados Unidos venham a abrandar num futuro próximo devido à incerteza que rodeia as políticas da administração Trump.

"Queremos esperar um pouco (…) antes de fazer grandes compromissos," afirma, acrescentando que "Trump é um candidato com políticas imprevisíveis."




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Eu sou Há 3 semanas

Que venham os chineses já que tudo o resto nada sabem de gestão! ???????

fernandolucas Há 3 semanas

Portugal a beneficiar da incerteza de alguns destinos. Depois da expansão do turismo português, o nosso país pode vir a beneficiar da perturbação Trumpista nos EUA. As crises são assim mesmo: uns perdem o que outros ganham.

José Maria Há 3 semanas

Tenho de ficar com o novo banco para safar o buraco no Haitong...

Gatunos Há 3 semanas

Eu quero o velhinho BES para me expandir em Portugal.

pub
pub
pub
pub