Banca & Finanças Monte dei Paschi avança com recapitalização privada

Monte dei Paschi avança com recapitalização privada

O BCE não deu mais tempo ao Monte dei Paschi para se recapitalizar em cinco mil milhões de euros. O resgate estava a ser dado como certo. Mas os avanços políticos levaram o banco a tentar concretizar a recapitalização através de fundos privados.
Monte dei Paschi avança com recapitalização privada
Bloomberg
Sara Antunes 11 de dezembro de 2016 às 22:23

O conselho de administração do Monte dei Paschi decidiu reunir-se depois de ter sido noticiado que o presidente da República, Sergio Mattarella, convidou Paolo Gentiloni, ministro dos Negócios Estrangeiros do Executivo de Matteo Renzi para formar governo.

 

O terceiro maior banco de Itália acredita que o facto de Gentiloni ter aceitado formar governo poderá renovar a confiança dos investidores. E é esta perspectiva que terá levado o conselho de administração a avançar com o plano de recapitalização.

 

Depois destes desenvolvimentos, o Monte dei Paschi decidiu avançar com uma recapitalização através de fundos privados, de acordo com a Reuters que cita uma fonte próxima do processo. Segundo a mesma fonte, o plano inclui a reabertura da oferta de troca de dívida por acções para investidores de retalho e a colocação de acções no mercado.

 

A Reuters noticiou também este domingo que o fundo soberano do Qatar poderá estar interessado em entrar no capital do banco. O fundo soberano do Qatar poderá injectar cerca de mil milhões de euros. Ao mesmo tempo, um consórcio de bancos estará a tentar vender acções no mercado.

 

Na sexta-feira, foi noticiado que o Banco Central Europeu (BCE) tinha recusado o prolongamento do prazo para que o Monte dei Paschi realizasse a recapitalização de cinco mil milhões de euros. O que significa que a instituição financeira – a única que chumbou nos testes de stress – terá de realizar esta recapitalização até ao final do ano. O que significa que o banco terá cerca de 15 dias para conseguir recapitalizar-se.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub