Banca & Finanças Montepio aprova saída de bolsa

Montepio aprova saída de bolsa

A assembleia-geral extraordinária da caixa económica aprovou esta segunda-feira o fim da qualidade de sociedade aberta, depois da empresa ter sido convertida em sociedade anónima.
Montepio aprova saída de bolsa
Paulo Zacarias Gomes 09 de outubro de 2017 às 19:55
A assembleia geral extraordinária da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) aprovou esta segunda-feira, 9 de Outubro, a perda de qualidade de sociedade aberta para a empresa.

Com a decisão, fica aberta a via para que a caixa económica deixe de se submeter às regras do mercado e saia de bolsa. 

A decisão, comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), foi tomada com o assentimento de "99,75% de votos a favor representativos de 99,75% do capital social da CEMG", refere o comunicado ao mercado.

O requerimento de perda de sociedade aberta - "sociedade com o capital aberto ao investimento do público", segundo definição do Código dos Valores Mobiliários - que será submetido pelo conselho de administração executivo da CEMG à CMVM também foi aprovado na reunião.

A caixa económica foi recentemente convertida em sociedade anónima, depois da OPA lançada por parte da associação mutualista, que passou a deter com 99,7% da instituição.

Entretanto, o Montepio deixou de ter unidades de participação, dispondo apenas de acções e levando à extinção do fundo de participação do Montepio, criado em 2013.

O anúncio da perda da qualidade de sociedade aberta surge no mesmo dia em que o Montepio foi aos mercados para uma emissão de obrigações hipotecárias - a primeira do género em oito anos - onde levantou 750 milhões de euros junto de investidores institucionais.

"A operação foi bem recebida, reflectindo a trajectória de recuperação da caixa económica", disse Félix Morgado ao Negócios.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub