Banca & Finanças Montepio com lucros de 20,4 milhões até Setembro

Montepio com lucros de 20,4 milhões até Setembro

O aumento da margem financeira e das comissões ajudaram à melhoria do resultado líquido nos primeiros nove meses de 2017.
Montepio com lucros de 20,4 milhões até Setembro
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 24 de outubro de 2017 às 17:44

O Montepio obteve lucros de 20,4 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, anunciou a caixa económica esta quarta-feira, 24 de Outubro, em comunicado à CMVM.

 

Nos primeiros nove meses de 2016, a instituição financeira sob o comando de José Félix Morgado (na foto) apresentou 67,5 milhões de euros de prejuízos.
 

Na prática, está em causa a saída de prejuízos para lucros: uma melhoria de 87,9 milhões.

 

"É o terceiro trimestre consecutivo em que a caixa económica tem resultados positivos", ressalvou o presidente executivo diz estar em linha com o plano estratégico desenhado.

 

O produto bancário do Montepio disparou mais de 50% para 380 milhões de euros. Para este resultado contribuiu a margem financeira da instituição, que subiu 13% para 202,1 milhões de euros. A caixa diz que a margem "foi suportada na redução dos custos de financiamento, nomeadamente do custo dos depósitos a prazo e da dívida emitida".

 

As comissões líquidas também contribuíram para o produto bancário, ao avançarem 19% para 83,9 milhões de euros. A caixa liderada por Félix Morgado justifica esta evolução com o novo preçário da instituição. Os resultados de operações financeiras cresceram, igualmente.

 

No campo dos custos operacionais, há uma diminuição de 18% para 206,8 milhões de euros, uma descida justificada sobretudo com o corte nos gastos com pessoal.

 

As imparidades para crédito deslizaram de 119,6 para 106,2 milhões de euros de Janeiro a Setembro, com um recuo igualmente nas imparidades para outros activos financeiros.

 

Neste trajecto, o resultado antes de impostos foi de 32,3 milhões, face aos resultados negativos de 153 milhões dos primeiros nove meses de 2016.

 

Os resultados dos primeiros nove meses do ano passado foram reexpressos para permitir a comparação. Angola e Moçambique deram contributos positivos para as contas, Cabo Verde negativos.

 

Em relação ao capital, o rácio que mede o peso do capital de melhor qualidade (Common Equity Tier 1) passou de 10,4%, em Setembro do ano passado, para 13%, no mesmo mês deste ano. O aumento de capital de 250 milhões concretizado pela mutualista justifica em grande medida a evolução.

 

(Notícia actualizada às 18:00 com mais informação)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JCG Há 4 semanas

Ena pá... um balúrdio!...

Amilcar Alho Há 4 semanas

Parabéns. Contra tudo e contra todos tudo indica que o Montepio vai sobreviver sem fazer lesados. É um case study. Como é que conseguiu aguentar as investidas do supervisor e da comunicação social?

General Ciresp Há 4 semanas

Desde quando e que as esmolas da santa casa sao vistas como ganhos.Alguem me sabe dizer quantos anos precisa um banco desta dimensao para para 5 vezes este valos em divida?

Saber mais e Alertas
pub