Banca & Finanças Montepio deverá alterar hoje estatutos, abrindo portas a novos accionistas

Montepio deverá alterar hoje estatutos, abrindo portas a novos accionistas

A Caixa Económica Montepio Geral é a principal empresa do Grupo Montepio, tendo apresentado até Setembro um prejuízo de 67,5 milhões de euros, um resultado que compara com perdas de 59,5 milhões de euros em igual período de 2015.
Montepio deverá alterar hoje estatutos, abrindo portas a novos accionistas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 22 de Novembro de 2016 às 07:19

A Caixa Económica Montepio Geral decide hoje a sua transformação em sociedade anónima, abrindo, assim, a porta à entrada no seu capital de outros accionistas que não apenas a Associação Mutualista Montepio Geral.

 

A assembleia-geral do banco mutualista decorre pelas 15:00 (hora de Lisboa) na sede, em Lisboa, e tem a alteração dos estatutos como único ponto da ordem de trabalhos.

 

Actualmente, a Associação Mutualista Montepio Geral detém a totalidade do capital da Caixa Económica Montepio Geral e a abertura de estatutos chega num momento em que o banco mutualista poderá vir a ter de reforçar capital para fazer face às novas exigências dos reguladores bancários, nomeadamente do Banco de Portugal.  

 

Sobre a alteração dos estatutos do banco mutualista já se fala há muito e, em Março deste ano, o presidente da Caixa Económica admitiu à Lusa que esse tema poderia colocar-se, garantindo que eventuais novos accionistas deverão vir de entidades ligadas ao terceiro sector.

 

"É um tema que se poderá pôr pelo accionista [Associação Mutualista] quando for entendido como oportuno, mas sempre para accionistas que permitam assegurar o perfil que o Montepio tem de banco português virado para economia social", afirmou Félix Morgado.

 

A assembleia-geral da Caixa Económica é constituída pelos membros do Conselho Geral do Montepio Geral, que por sua vez é composto pela mesa da assembleia, pelo conselho fiscal e pelo conselho de administração da Associação Mutualista.

 

A Caixa Económica Montepio Geral é a principal empresa do Grupo Montepio, tendo apresentado até Setembro um prejuízo de 67,5 milhões de euros, um resultado que compara com perdas de 59,5 milhões de euros em igual período de 2015.

 

Na divulgação das contas feita a semana passada, o banco anunciou que já o resultado líquido do terceiro trimestre foi positivo, situando-se na ordem dos 144 mil euros, "invertendo a tendência recente de resultados trimestrais negativos".

 

Caso a assembleia-geral de hoje não se realize por falta de quórum, a nova reunião magna fica marcada para 7 de Dezembro.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 1 semana

"Conselho Geral do Montepio Geral, que por sua vez é composto pela mesa da assembleia, pelo conselho fiscal e pelo conselho de administração da Associação Mutualista." ...
Não é bem assim: o CG do MG-AM não é composto por ... antes integra os elemntos desses órgãos, porque há mais membros no CG, 12 que foram eleitos especificamente para esse órgão.

comentários mais recentes
JCG Há 1 semana

Esta alteração é crítica, pois representa o último lance na perda de controlo do Banco Montepio pela casa-mãe, o Montepio - Ass Mutualista, que o criou, na medida em que se até agora a AG do banco tinha 23 elementos (alguns eleitos em listas não dominadas pelo "cabeça" da lista vencedora) e, embora com larga maioria da lista dominante, havia uma remota hipótese de algum dos membros do CG do MG-AM/ AG do banco ter alguma preocupação de controlo, ou haver alguma amplitude de visões e opiniões, o que é sempre enriquecedor, no futuro, com a passagem do banco a sociedade anónima e enquanto o MG-AM for o úncio acionista, as AG do banco terão como membros da AG um elemento que representará o acionista mandatado não se sabe como, porque isso não é acautelado na l.ei nem nos estatutos do MG-AM e o supervisor é negligente e relapso, e, portanto, a governação do banco do Montepio entrará (mais) em roda livre ou em autogestão, funcionando os gestores como donos sem lá terem posto um cêntimo.

JCG Há 1 semana

"Conselho Geral do Montepio Geral, que por sua vez é composto pela mesa da assembleia, pelo conselho fiscal e pelo conselho de administração da Associação Mutualista." ...
Não é bem assim: o CG do MG-AM não é composto por ... antes integra os elemntos desses órgãos, porque há mais membros no CG, 12 que foram eleitos especificamente para esse órgão.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub