Banca & Finanças Moody’s espera descida do incumprimento no crédito em Portugal

Moody’s espera descida do incumprimento no crédito em Portugal

O melhor desempenho da economia portuguesa e o crescimento nos índices de confiança dos consumidores justificam a perspectiva mais optimista da agência de notação financeira.
Moody’s espera descida do incumprimento no crédito em Portugal
Bloomberg
Nuno Carregueiro 25 de julho de 2017 às 12:45

A Moody’s adoptou uma perspectiva mais optimista para o mercado português de crédito às famílias, estimando uma melhoria ao longo dos próximos 12 a 18 meses, devido à evolução positiva do crescimento do PIB e dos indicadores de confiança das famílias.

 

"O desempenho do crédito a particulares em Portugal vai continuar a melhorar de forma moderada, reflectindo níveis mais baixos de incumprimento no crédito à habitação e ao consumo", afirma Greg Davies, analista da Moody’s, no relatório publicado esta terça-feira, 25 de Julho.

 

O mesmo responsável adianta que os bancos estão mais disponíveis para aumentar os níveis de concessão de crédito, "devido aos níveis mais elevados de confiança dos consumidores", sendo que os fundamentais macro-económicos mais fortes também contribuem para um melhor desempenho do crédito.

 

A Moody’s estima uma aceleração no crescimento do PIB no final de 2017, o que em conjunto com os preços mais altos das casas "vai originar taxas de recuperação [de crédito] mais elevadas e maior capacidade para os detentores de créditos cumprirem com o serviço da dívida".

 

Lisa Macedo, também da Moody’s, estima um "crescimento tímido no crédito à habitação", já que o aumento de novos empréstimos será "suprimido" por um maior volume de amortizações.

 

A Moody’s, que alerta que este relatório não representa uma acção de rating, atribuiu à dívida soberana portuguesa uma notação financeira de Ba1, com "outlook" estável.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Johnny 25.07.2017

ANONIMO:
Quando não tens onde cair morto não te divorcias
nem que tenhas de dormir na mesma cama com a ex-mulher e o seu novo amante
Andam aí muitos a uivar

Anónimo 25.07.2017

ESPEREM PARA VER A BOMBA QUE VAI REBENTAR QUANDO OS CASALINHOS IMATUROS SE COMEÇAREM A DIVORCIAR E OS FIADORES A FICAR DEPENADOS OUTRA VEZ, DEVIDO AOS EMPRÉSTIMOS PARA HABITAÇÃO IRRESPONSÁVEIS DOS ÚLTIMOS TRES ANOS.

pub