Banca & Finanças Mourinho Félix acredita em "venda bem-sucedida do Novo Banco" em Novembro

Mourinho Félix acredita em "venda bem-sucedida do Novo Banco" em Novembro

No dia em que a Comissão Europeia deu a primeira aprovação à venda do Novo Banco à Lone Star, o secretário de Estado Adjunto e das Finanças mostra-se confiante de que a alienação do banco depurado dos activos tóxicos do antigo BES será "bem-sucedida dentro do calendário definido".
Mourinho Félix acredita em "venda bem-sucedida do Novo Banco" em Novembro
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 10 de julho de 2017 às 19:38

O secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, mostra-se convicto de que a venda do Novo Banco aos americanos da Lone Star será "bem-sucedida dentro do calendário definido".

 

Presente esta segunda-feira, 10 de Julho, em Bruxelas para acompanhar os trabalhos da Comissão Europeia, no dia em que a instituição deu a primeira aprovação à operação de alienação do banco que ficou com os activos considerados bons do antigo BES, Mourinho Félix referiu-se a esse facto como indiciador de que "o processo de venda deverá estar concluído, esperamos, em Novembro". O calendário definido prevê a conclusão do processo até ao dia 4 de Novembro.

 

"Hoje foi aprovada a parte relacionada com a concorrência e a fusão", disse o governante referindo-se ao facto de esta aprovação dizer respeito ao cumprimento das regras europeias relativas a fusões.

 

"A partir daqui estamos em condições de avançar para a fase seguinte", disse acrescentando que "falta ainda a aprovação sobre as regras de ajuda do Estado", assim lembrando que a Comissão Europeia terá ainda de dar luz verde ao cumprimento das regras de ajuda de Estado.

 

Mourinho Félix acredita que essa segunda aprovação deverá estar concluída "nas próximas semanas".

 

A operação acordada prevê que a Lone Star fique com 75% do Novo Banco (actualmente detido a 100% pelo Fundo de Resolução), ficando o Fundo de Resolução com os 25% remanescentes. Trata-se de uma operação a custo zero para o grupo americano de "private equity", estipula que a Lone Star injecte mil milhões de euros na instituição, 750 milhões aquando da concretização da venda e os restantes 250 milhões num período de até três anos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
nl Há 2 semanas

eu tb tenho uma fezada na existencia no Pai Noel...

pub
pub
pub
pub