Automóvel Musk indexa salário à prestação da Tesla e deixa de ter remuneração garantida

Musk indexa salário à prestação da Tesla e deixa de ter remuneração garantida

O CEO e fundador da Tesla vai deixar de ter qualquer valor mínimo salarial garantido. Doravante, Elon Musk passará somente a receber salário em função dos resultados alcançados pela Tesla.
Musk indexa salário à prestação da Tesla e deixa de ter remuneração garantida
reuters
Negócios com Reuters 23 de janeiro de 2018 às 11:08

Não é propriamente algo completamente novo, embora seja incomum ser o próprio CEO a adoptar para si uma política que o pode prejudicar. Elon Musk, fundador e CEO da Tesla, decidiu indexar a sua remuneração ao desempenho da empresa e à satisfação dos accionistas.

 

De acordo com o anúncio feito esta terça-feira, 23 de Janeiro, em comunicado emitido pela Tesla, Elon Musk prescinde assim de um salário base garantido, deixando de ter direito a qualquer tipo de compensação remuneratória assegurada.

 

A compensação salarial de Musk será definida em função da combinação da capitalização da Tesla no mercado bolsista e dos resultados operacionais obtidos pela empresa.

 

"Elon [Musk] não vai receber qualquer compensação garantida – nenhum salário, bónus financeiro e nenhumas acções adquiridas somente pela simples passagem do tempo", escreve a fabricante de automóveis eléctricos no comunicado já referido.

 

A remuneração feita com base no desempenho da Tesla consistirá na atribuição do direito, durante um período de 10 anos, a opções sobre acções, dividido em 12 tranches e em que cada uma delas poderá ser accionada apenas se os objectivos de capitalização bolsista e resultados operacionais forem atingidos.

 

Na nota da Tesla a empresa refere que a capitalização terá de aumentar para 100 mil milhões de dólares de forma a que possa ser paga a primeira tranche, tendo depois de assegurar o contínuo crescimento de 50 mil milhões de dólares.

 

Ou seja, para que Elon Musk tenha direito à totalidade da compensação definida para o desempenho da empresa, a cotada precisa fazer crescer a respectiva capitalização para 650 mil milhões de dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub