Web Summit "Não há start-up sem modelo de negócio". O que saber sobre o tema

"Não há start-up sem modelo de negócio". O que saber sobre o tema

Perter Kruger, CEO e director-geral do Startupbootcamp, deu esta quinta-feira algumas ideias sobre o que os empreendedores devem perceber sobre modelos de negócios. Até porque “os modelos de negócio são essenciais para uma start-up”.
"Não há start-up sem modelo de negócio". O que saber sobre o tema
Miguel Baltazar
Ana Laranjeiro 10 de Novembro de 2016 às 15:21

Peter Kruger, CEO e director-geral Startupbootcamp, esteve esta quinta-feira, 10 de Novembro, no Web Summit a dar dicas sobre como construir o plano de negócios. Ao Negócios, começou por explicar que "os modelos de negócio são essenciais para uma start-up". "Não há uma start-up sem um modelo de negócio".

 

O especialista considera que uma das coisas muito importantes é "a forma como [os empreendedores] gerem o modelo de negócio durante o processo de desenvolvimento de uma start-up".

"O modelo de negócio é um instrumento que realmente ajuda nisso. Há muitas ferramentas para [desenvolver um modelo de negócio], como o modelo canvas que recomendo usar em termos de verificação da consistência [do produto da start-up] e comunicação". "É muito útil para comunicar o modelo de negócios em especial para pessoas que não pertencem à equipa".

 

Kruger considera que, em última análise, um modelo de negócios é nada mais nada menos que uma folha de cálculo simples que tem de conter três coisas: as métricas, as propostas que levam a essas métricas e a lógica.

 

"O verdadeiro segredo é conseguir fazer esta folha de cálculo e usá-la como um instrumento que permite, a tempo, verificar se as hipóteses [em relação ao produto e nas quais estão a trabalhar] são correctas e se há coisas que têm de ser mudadas. Ou se está tudo tão mal, tão longe [da realidade], que têm de mudar tudo. E isto é o que é importante", concluiu.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub