Turismo & Lazer Natal e Ano Novo deverão ser melhores para o turismo

Natal e Ano Novo deverão ser melhores para o turismo

Perspectivando os próximos seis meses, os operadores do sector turístico indicaram que a procura externa e o investimento privado devem subir, enquanto a carga fiscal, o investimento público e a procura turística interna deverão manter-se.
Natal e Ano Novo deverão ser melhores para o turismo
Correio da Manhã
Lusa 18 de Outubro de 2016 às 10:27
Os operadores turísticos estimam que o Natal e o fim de ano registem mais receitas, dormidas e turistas, na comparação com 2015, a nível do mercado externo, segundo o barómetro sectorial hoje divulgado.

Com base em 70 respostas, o Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT) indicou que 80% dos inquiridos prevê que as festividades no final do ano serão "melhores" quanto ao mercado externo, enquanto o mercado interno deverá registar uma evolução idêntica a 2015.

À questão sobre o impacto da saída do Reino Unido da União Europeia, na sequência do referendo realizado em Junho, a maioria dos inquiridos (77%) respondeu que não haverá consequências no sector. O Reino Unido é um dos principais mercados emissores de turistas para Portugal.

Segundo o barómetro, o índice de confiança médio no desempenho do sector do turismo atingiu, em Setembro, o valor mais elevado desde Março de 2010, traduzindo 83,6 pontos e um acréscimo de 2,8 pontos face ao último registo datado de Abril passado.

Perspectivando os próximos seis meses, os operadores indicaram que a procura turística externa e o investimento privado devem subir, enquanto a carga fiscal, o investimento público e a procura turística interna deverão manter-se. Dos inquiridos que responderam, 35% estimam que o investimento público poderá diminuir.

O período de auscultação do barómetro número 50 decorreu entre 22 de Setembro e 3 de Outubro, num universo de 173 membros, tendo-se registado 70 respostas.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda

O VERDADEIRO CRIME ORGANIZADO


GOLPE DE ESTADO na sociedade portuguesa, marcado por COSTA LADRÃO… para dia 1 de Julho de 2016.

A FP volta às 35 horas, salários altos e muitas outras benesses...

enquanto os privados trabalham 40, com salários muito mais baixos, e ainda tem que pagar impostos cada vez mais altos para sustentar os privilégios da FP e seus pensionistas.

comentários mais recentes
10:40 Há 2 semanas

Arranja uma gaja, vai ao teatro, lê um livro. Se a tua vida é falar mal do proximo suicida-te. Tarado nem vive.

Pois Há 2 semanas

É o Diabo

Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

ver mais comentários
pub