Indústria Navigator oferece aumentos salariais abaixo do reivindicado pelos trabalhadores

Navigator oferece aumentos salariais abaixo do reivindicado pelos trabalhadores

Trabalhadores da Navigator Company concentraram-se esta quarta-feira junto ao complexo industrial de Setúbal para exigirem aumentos salariais de 1,7%, mas a empresa propõe 1,3% de actualização salarial para 2017, disse à agência Lusa fonte sindical.
Navigator oferece aumentos salariais abaixo do reivindicado pelos trabalhadores
Pedro Elias/Negócios
Lusa 15 de março de 2017 às 14:46
"Estamos a propor um aumento de 1,7% em sede de negociação e a Navigator Company oferece apenas aumentos inferiores à inflação, de 1,3%, que abrange apenas dois trabalhadores, de 1,2% para executantes do escalão B, e de 1,1% para trabalhadores do escalão A", disse à agência Lusa José Paixão, do SITE CN - Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro Norte.

"No próximo mês a empresa vai distribuir milhões de euros pelos accionistas, mas só tem tostões para dar aos trabalhadores", disse José Paixão, lembrando que a Navigator Company teve um lucro de "217 milhões de lucros" no ano passado.

O sindicalista, que falava à agência Lusa durante a concentração com cerca de uma centena de trabalhadores, a maioria proveniente das fábricas do grupo na Figueira da Foz, disse que ainda não está definido o montante a distribuir pelos accionistas, mas lembrou que o presidente executivo da Navigator Company, Diogo da Silveira, já terá admitido que a empresa estava em condições de distribuir, pelos accionistas, um montante superior aos 57 milhões do ano passado.

José Paixão disse ainda que cerca de 80 trabalhadores das empresas do grupo na Figueira da Foz decidiram deslocar-se esta quarta-feira a Setúbal para acompanharem as comissões negociadoras das empresas do grupo e sensibilizar a administração para a necessidade de melhorar as contrapartidas financeiras oferecidas e acabar com a situação de desigualdade entre trabalhadores de diversas empresas da Navigator Company.

"Há trabalhadores de outras empresas do grupo, designadamente da Arboser e Headbox, que ganham um terço ou 50% do que ganham os trabalhadores mais antigos das empresas originárias do grupo - Soporcel (Figueira da Foz) e Portucel (Setúbal). Esses trabalhadores trabalham mais duas horas por semana e têm salários abaixo do nível de admissão do próprio grupo", disse.

"Há trabalhadores destas duas empresas a ganharem cerca de 800 euros e a desempenharem as mesmas funções que outros trabalhadores que auferem salários de 2.200 euros", acrescentou.

As comissões negociadoras reúnem-se hoje à tarde com a administração da Navigator a partir das 15:00, no Complexo Industrial de Setúbal.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.04.2017

A Navigator é boa empresa desde que deduções fiscais e fundos públicos de apoio discricionários deixem de ser a regra e passem a ser menos do que uma excepção. Quando isso acontecer a empresa terá de optar por uma gestão lean assente na boa gestão de recursos humanos e no investimento em capital com elevada incorporação de tecnologia automática que eleve a produtividade da empresa para outros patamares. Em França e Itália, países com vastas áreas com óptimas condições para a plantação de eucalipto, em vez de importarem a esperteza saloia da plantação de eucalipto australiano mantiveram as florestas de pinheiro, castanheiro, aveleira e nogueira, criando uma mancha verde florestal de espécies autóctones rica em frutos secos e madeiras nobres de elevado valor comercial que vários sectores da indústria transformadora de alto valor acrescentado aproveitam, que apresenta muito maior diversidade e é económica, paisagística e ambientalmente muito mais interessante e auto-sustentável.

pub