Bolsa Navigator reduz capital social em 217,5 milhões de euros

Navigator reduz capital social em 217,5 milhões de euros

A Semapa quis libertar a Navigator de capital em excesso, que passa agora para reservas livres.
Navigator reduz capital social em 217,5 milhões de euros
Pedro Elias
Diogo Cavaleiro 22 de setembro de 2017 às 13:16

A Navigator reduziu o seu capital social. A accionista Semapa, de Pedro Queiroz Pereira (na foto), considerou que não era necessário ter tanto capital e propôs reencaminhá-lo para a rubrica de reservas livres. A posição de cada accionista é mantida: a Semapa continua a ser a controladora.

 

"Foi aprovada, por maioria de votos, a proposta da accionista Semapa para a redução do capital social da Navigator de € 717.500.000,00 para € 500.000.000,00 e, por conseguinte, a alteração parcial do contrato de sociedade, modificando o artigo 4.º", assinala a empresa presidida por Diogo da Silveira esta sexta-feira, 22 de Setembro, em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

Na proposta divulgada em Agosto, a proponente Semapa argumentava que a redução de capital na papeleira tinha como finalidade a "libertação de excesso de capital", que seria transferido "para reservas livres".

 

A operação é feita mantendo o número de acções representativas do capital social, pelo que os accionistas mantêm a sua posição relativa: a Semapa fica com os 69,5% (directamente e através de subsidiárias); o fundo de pensões do BPI permanece com os 4,2%; o Norges Bank com menos de 2%.

 

Esta decisão é tomada depois de um outro ponto ter sido aprovado, igualmente esta sexta-feira: "Foi aprovada, por maioria de votos, a proposta da accionista Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. ("Semapa"), para conversão das acções da Navigator em acções sem valor nominal e a consequente alteração parcial do contrato da sociedade".

 

Ou seja, as acções deixam de ter um valor nominal associado – é este valor, somando ao número de títulos, que determina o montante do capital social, pelo que as operações de mercado exigem mudanças naquele número. Sem valor nominal, deixa de haver essa obrigatoriedade no cálculo do capital social. A empresa justifica esta decisão com a consequente maior flexibilidade nas alterações ao capital social.

 

A opção é da Semapa, enquanto accionista, que também levou o tema a discussão accionista, assembleia igualmente agendada para esta sexta-feira, mas cujos resultados ainda não foram divulgados à CMVM.


Na Bolsa de Lisboa, a cotação das acções da Navigator (que evolui à luz da oferta e procura pelos títulos e que não está associado ao valor nominal) recuam 0,40% para valer 4,032 euros, a primeira queda após nove sessões de avanços. A Semapa cede 0,39% para 15,35 euros.