Aviação Neeleman critica falta de espaço no aeroporto de Lisboa: “O Montijo está lá”

Neeleman critica falta de espaço no aeroporto de Lisboa: “O Montijo está lá”

O empresário afirma que a TAP está a crescer “mais rápido do que o aeroporto” e que não é possível esperar três anos para abrir outro.
Neeleman critica falta de espaço no aeroporto de Lisboa: “O Montijo está lá”
Miguel Baltazar
Rita Faria 10 de Novembro de 2016 às 12:14

David Neeleman, um dos donos da TAP, defendeu esta quinta-feira, 10 de Novembro, a necessidade de a companhia aérea portuguesa fortalecer o hub em Lisboa. No entanto, o empresário aponta para a falta de espaço no aeroporto Humberto Delgado e diz que "não é possível esperar três anos" para abrir outro aeroporto.

 

"Estou um pouco frustrado com o aeroporto que não está a abrir mais espaço, porque estamos a crescer mais rápido do que o aeroporto. E essa é uma coisa muito importante para o país", referiu Neeleman, à margem de uma conferência no Web Summit, em Lisboa.

 

O empresário afirmou que é preciso "abrir mais pistas e mais ligações", voltar para Toronto e Montreal, no Canadá, e apostar em mais cidades nos Estados Unidos, nordeste do Brasil e África.

 

"Mas o aeroporto tem de fazer a mesma coisa. Não podemos crescer se eles dizem que está limitado. Temos de abrir outro aeroporto. O Montijo está lá. Não podemos esperar três anos para isso acontecer. Essa é a minha maior preocupação", destacou.

 

Em declarações aos jornalistas, Neeleman defendeu que a TAP, a ANA e o Governo devem trabalhar em conjunto, até porque o turismo é uma grande fonte de receitas para o país. "Vemos muitos americanos aqui. E sabemos que eles gastam muito mais dinheiro do que quem vem pela Ryanair a pagar 39 euros. Uma pista nesta capital é insuportável. Temos de trabalhar rápido", reiterou.

 

Questionado sobre possíveis despedimentos na companhia área portuguesa, o empresário garantiu que, pelo contrário, estão a contratar. "Fizemos um estudo interno para perceber o que temos de fazer para sermos mais eficientes. Descobrimos muitos custos", explicou. Mas, no que diz respeito ao pessoal, "estamos a crescer, estamos a contratar pessoas". "Mas nas outras áreas temos de ver onde podemos ser mais eficientes", acrescentou.

 

Sobre o processo de reestruturação da dívida da TAP, Neeleman diz que é "difícil" que esteja concluído até ao final do ano. 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Comprou a TAP a pataco, agora quer um aeroporto? Pague - e a UE proíbe que um americano detenha a TAP ( detalhes...).

jmsn Há 3 semanas

É fácil! Aproveitas a ponte aérea que fizeste para desviar tráfego do Porto e colocas os aviões a sair de lá. A final, o que é bom para o Porto também deve servir para Lisboa, não?

Anónimo Há 3 semanas

Desviou aviões do Porto para Lisboa e agora diz que está congestionado?

dez Há 3 semanas

E investir no aeroporto do Porto, com mais rotas, dá? É que o centralismo generalizado promovido pelos decisores politicos já cheira mal. A malta tem de ir a Lisboa para apanhar um voo de 1 ou 2h para qualquer cidade europeia. Portugal não é só Lisboa. Julgo eu...

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub