O Negócios Negócios vence prémio de jornalismo económico Santander/Nova

Negócios vence prémio de jornalismo económico Santander/Nova

Cinco jornalistas do Negócios ganharam o prémio na categoria Sustentabilidade e Inovação Empresarial com o trabalho "Gestoras da bolsa ganham menos 30% que os homens". Bruno Faria Lopes, da Sábado, venceu o Grande Prémio
Negócios vence prémio de jornalismo económico Santander/Nova
Elisabete Miranda, Patrícia Abreu, Paulo Moutinho, Catarina Almeida Pereira e Rui Barroso receberam o prémio.
Negócios 26 de junho de 2017 às 16:59

Os jornalistas do Negócios, Rui Barroso, Elisabete Miranda, Patrícia Abreu, Catarina Almeida Pereira e Paulo Moutinho (agora no Eco) ganharam o prémio de jornalismo económico do Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa na categoria Sustentabilidade e Inovação Empresarial, com o trabalho "Gestoras da bolsa ganham menos 30% que os homens", no qual se aborda a desigualdade salaria entre géneros no universo da gestão empresarial.

O Grande Prémio foi atribuído a Bruno Faria Lopes, da Sábado, com o artigo "Crescer muito, perder muito, encolher muito. Como a Caixa queimou milhões em Espanha".

Na categoria de Mercados Financeiros, foi distinguido Luís Rosa, do Observador, com a o trabalho "Como Salgado usou o saco azul para implementar um esquema de financiamento fraudulento do GES?".

Os prémios foram entregues esta segunda-feira, 26 de Junho, por António Rendas, Reitor da NOVA, e António Vieira Monteiro, presidente Executivo do Santander Totta, numa cerimónia que teve lugar no edifício do Banco Santander Totta, na Rua da Mesquita, em Lisboa.

 

Esta é a 11.ª edição do Prémio de Jornalismo Económico, cuja organização esteve a cargo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH/NOVA), numa iniciativa conjunta da Universidade NOVA de Lisboa e do Banco Santander Totta. Os trabalhados premiados foram publicados ao longo de 2016.


O objectivo é o de promover a qualidade da criação jornalística, distinguindo os melhores trabalhos de imprensa escrita e electrónica nas áreas acima referidas.

As notícias que integravam o trabalho premiado podem ser lidas aqui:

Gestoras da bolsa ganham menos 30% do que os homens

Um terço do PSI-20 cumpre as quotas na administração

25 anos de trabalho para ter um salário de CEO

Será que os CEO merecem os milhões que ganham?

Custos das administrações crescem três vezes mais do que os com pessoal

Quanto ganham os CEO do PSI-20




pub