Aviação Nem preços mais baixos convencem passageiros a embarcar num avião sem piloto

Nem preços mais baixos convencem passageiros a embarcar num avião sem piloto

Um relatório do UBS revela que as companhias aéreas poderiam poupar mais de 35 mil milhões de dólares com aviões sem piloto. Mas os passageiros parecem não estar interessados. Nem com a possibilidade de terem viagens mais baratas.
Nem preços mais baixos convencem passageiros a embarcar num avião sem piloto
Sara Matos
Sara Antunes 07 de agosto de 2017 às 13:30

Desenvolver tecnologia que permita que os aviões possam ser auto-pilotados pode trazer "benefícios económicos relevantes" para as companhias aéreas e poderá ajudar a aumentar a segurança. Quem o diz é o UBS que publicou um relatório esta segunda-feira, 7 de Agosto, sobre aviões sem piloto.

 

O banco suíço diz que as companhias aéreas poderiam poupar mais de 35 mil milhões de dólares (29,7 mil milhões de euros) por ano com a introdução de aviões sem piloto. Estas poupanças seriam geradas com a redução dos custos com os pilotos, menores prémios de seguros e menores custos de combustível, diz o relatório citado pelo Financial Times.

 

O primeiro passo, diz o banco suíço, seria reduzir o número de pilotos no cockpit para apenas um piloto, tendo ainda um piloto remoto em terra.  


Contudo, parece haver um grande entrave a esta realidade: os passageiros. Mais de metade das 8.000 pessoas inquiridas para este estudo do UBS dizem que se recusariam a viajar num avião sem piloto. E nem o facto de poderem ter acesso a preços dos bilhetes mais baixos os faria mudar de ideias, revela o The Guardian, que cita o mesmo estudo.

 

"Cerca de 54% dos inquiridos dizem que era improvável que viajassem num avião sem piloto, enquanto apenas 17% dizem que provavelmente viajariam" nestas condições. "Surpreendente, talvez, é que metade dos inquiridos diz que não comprariam bilhetes de avião sem piloto mesmo que fossem mais baratos", diz o mesmo relatório, citado pelo Guardian.


Apesar do UBS considerar que "a aceitação [deverá] crescer ao longo do tempo", as previsões do banco de investimento apontam para que os aviões de carga sejam pilotados sem piloto em 2025. Já em relação às viagens de passageiros, será preciso esperar até meados do século antes das pessoas terem confiança suficiente para embarcarem num avião pilotado apenas por máquinas.




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 07.08.2017

São as mesmas pessoas que conduzem veículos automóveis, operam sistemas informáticos ou manipulam máquinas em unidades fabris, em todos esses casos também elas facilmente substituíveis por automação avançada de última geração que tornaria a realização de tarefas e processos na economia em algo muito mais eficaz, eficiente e barato, mas que seria avesso aos interesses sindicais e neoluditas de várias associações de malfeitores às quais estas criaturas aderiram há muito tempo.

comentários mais recentes
Anónimo 09.08.2017

Enquanto o trabalho de uns é exigir proteccionismo, privilégios, blindagens, aumentos, subsídios e resgates sem qualquer razão de ser, o de outros é tentar criar algum valor e fazer avançar o mundo indo ao encontro da satisfação de necessidades num mercado tendencialmente livre, aberto e concorrencial, e sem corromper, extorquir ou pilhar o que quer que seja a alguém. Sempre foi assim, desde as eras da escravatura e da pirataria, passando pelo terror das piores experiências fascistas e comunistas de tão má memória.

bucks 08.08.2017

Entao e que tal substituirem os bancos por robots (que já acontece), depois fica tudo sem dinheiro para consumir.
Tudo é reduzir ate nao restar ninguem, simplesmente porque acham moderno e maravilhoso e acima de tudo nao precisam pagar.

Anónimo 08.08.2017

Voo AF-447 Rio-Paris da Air France. . .Quanto mais "tecnologia" mais merd*. . .Eis o exemplo de uma companhia que quis poupar no treino das tripulações devido a "tecnologia" e teve o desfecho que teve. Quem não assenta o cú num voo sem pilotos sou eu. Nesse dia passo a andar de comboio ou barco!!

Anónimo 08.08.2017

Políticos automáticos? Sim, para quê os deputados se as leis podem ser votadas eletronicamente por o povo directamente? Só que acabar com este "lobi"! Vai lá vai.

ver mais comentários
pub