Media Netflix acaba com House of Cards

Netflix acaba com House of Cards

A série House of Cards, o primeiro grande sucesso da Netflix, vai ficar-se pela sexta temporada. Uma notícia divulgada no dia da polémica em torno do assédio sexual de Kevin Spacey, quando tinha 26 anos, a um menor de 14 anos.
D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R. D.R.
Diogo Cavaleiro 30 de outubro de 2017 às 20:06

Frank Underwood não vai estar próximo do poder no próximo ano. A sexta temporada de House of Cards é a última da série. A notícia foi divulgada pela publicação especializada Deadline Hollywood, sendo que também outros órgãos, como a Bloomberg, avançam com a mesma notícia.

 

A decisão foi noticiada – ainda que não confirmada oficialmente – no dia em que a série se viu envolvida em polémica: Kevin Spacey, que dá vida ao protagonista, foi acusado de ter assediado sexualmente um menor em 1986.

 

Em comunicado divulgado esta segunda-feira, Spacey pediu desculpa pelo "comportamento ébrio profundamente inapropriado" que poderá ter tido, ainda que não se lembre do mesmo. Em causa está um alegado assédio sexual denunciado pelo também actor Anthony Rapp que, em 1986, tinha 14 anos e Kevin Spacey 26.

 

De qualquer forma, a Bloomberg diz que a decisão da Netflix em pôr um ponto final na primeira série de grande sucesso não está relacionada com a polémica. Uma posição que não é assumida pelo Deadline Hollywood, que faz a ligação entre os dois temas.

 

Lançada em 2013, a série House of Cards, que traça as movimentações do poder político em Washington, tem a estreia da sexta temporada marcada para o próximo ano.

 

Este é mais um caso que envolve polémica sexual numa Hollywood que tem estado sob uma nuvem de escândalos sexuais que tem Harvey Weinstein como protagonista. 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Parece-me haver aqui fundamentalismos.
O homem tinha 26 anos, estava bêbado e atirou-se a um puto de 14 anos, isto há 31 anos.
Apesar de condenável, pelo que parece, não voltou a acontecer nada do género nestes 31 anos. Parece que de facto, foi um momento irreflectido que não se repetiu.
Isso é caso para irradicar uma pessoa do seu meio, da sua profissão? Alguém com provas dadas de profissionalismo, competências? Lá está... quem nunca pecou que atire a primeira pedra.

comentários mais recentes
5640533 Há 2 semanas

Já não era sem tempo acabar com House of Cards.

Hélio Há 2 semanas

esta America é a maior palhacada que ja vi na minha vida.aquele sitio é um teatro a tempo inteiro.
a internet que venha com os registos pornograficos de cada casa...pode ser que assim o mundo veja de uma vez a gente hipocrita que tem.

venha koreano e arrebente com aquilo, bem precisa de um reset

Anónimo Há 2 semanas

E PORQUE É QUE O OUTRO PANACA SÓ SE VEIO QUEIXAR AGORA.
COISAS DE MARICAS!

Anónimo Há 2 semanas

Parece-me haver aqui fundamentalismos.
O homem tinha 26 anos, estava bêbado e atirou-se a um puto de 14 anos, isto há 31 anos.
Apesar de condenável, pelo que parece, não voltou a acontecer nada do género nestes 31 anos. Parece que de facto, foi um momento irreflectido que não se repetiu.
Isso é caso para irradicar uma pessoa do seu meio, da sua profissão? Alguém com provas dadas de profissionalismo, competências? Lá está... quem nunca pecou que atire a primeira pedra.

ver mais comentários
pub