Turismo & Lazer NH Hotels dispara 18% após proposta de fusão da Barceló

NH Hotels dispara 18% após proposta de fusão da Barceló

O grupo Barceló fez uma proposta de fusão ao NH Hotels com o objectivo de criar um gigante de Espanha. As acções estão a disparar 18%.
NH Hotels dispara 18% após proposta de fusão da Barceló
Reuters
Sara Antunes 20 de novembro de 2017 às 13:20

O grupo hoteleiro Barceló avançou com uma proposta para uma fusão com o grupo NH Hotels. O objectivo desta proposta é criar um grupo que "possa competir directamente com os maiores grupos do mundo nos mercados mais importantes", revela o Barceló no comunicado emitido esta segunda-feira, 20 de Novembro, para o regulador do mercado espanhol.

 

As acções do NH Hotels, que estiveram suspensas de negociação a maior parte da manhã, dispararam 18% para 5,90 euros, elevando para 53% o ganho desde o início do ano. Ainda assim, a cotação mais alta de hoje representa um máximo de apenas 13 de Setembro.

 

"Acreditamos que a combinação dos nossos grupos vai permitir" a criação "de um ‘campeão nacional’ hoteleiro espanhol", além de permitir uma "maior diversificação geográfica e por segmento de negócio".

 

O objectivo do Barceló é manter a empresa cotada em bolsa, ficando com 60% do capital do grupo resultante desta fusão e com a maioria dos assentos no conselho de administração.

 

O Barceló defende que a proposta reflecte uma "avaliação atractiva, que inclui um prémio para os accionistas da NH". De acordo com os cálculos do Barceló, esta proposta equivale a "um preço por acção de 7,08 euros (pós conversão), o que representaria um prémio de 27% face à cotação média dos três meses anteriores a 30 de Outubro", cujo valor médio é de 5,56 euros, "antes de incorporar sinergias e outros potenciais impactos positivos no valor" da empresa que nascerá da fusão, de acordo com o mesmo comunicado.

O grupo NH salienta que "não há nenhum acordo" entre as duas partes, entre assessores, accionistas de referência ou administradores.

 

O grupo Barceló tem 230 hotéis espalhados pelo mundo, com mais de 50 mil quartos, segundo a informação que consta no site da empresa, citada pela Bloomberg. Em Portugal, este grupo não tem qualquer unidade hoteleira.

 

Já o NH Hotels tem 381 unidades com 59.030 quartos, de acordo com a Bloomberg. Em Portugal esta empresa tem três hotéis: dois em Lisboa (Avenida da Liberdade e Campo Grande) e um no Porto (Batalha).

 

A maior cadeia de hotéis de Espanha é a Melia Hotels, com 314 unidades e 80.955 quartos. Em Portugal, este grupo tem 13 unidades: quatro em Lisboa, dois no Porto, um em Aveiro, Coimbra, Braga, Covilhã, Madeira, Castelo Branco e Leiria.

 

"Acreditamos que o negócio faz sentido estrategicamente já que as empresas têm negócios complementares", salienta o analista Juan Jose Fernandez-Figares, da Link Securities, citado pela agência de informação americana.  Segundo o analista, o Barceló tem uma exposição maior ao negócio de férias, especialmente nas Caraíbas e EUA, enquanto o NH Hotels tem uma maior incidência nas áreas urbanas e na Europa. O analista antecipa "sinergias significativas" desta fusão. 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar