Empresas Nintendo encaixa 3,8 milhões no primeiro dia de Super Mario Run

Nintendo encaixa 3,8 milhões no primeiro dia de Super Mario Run

Os analistas sugerem que se trata de um recorde entre aplicações móveis para um primeiro dia de lançamento: cerca de 10 milhões de downloads.
Nintendo encaixa 3,8 milhões no primeiro dia de Super Mario Run
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 17 de dezembro de 2016 às 18:40

O novo jogo para dispositivos móveis desenvolvido integralmente pela Nintendo valeu à empresa nipónica, no primeiro dia da sua disponibilização, vendas na ordem dos 4 milhões de dólares (cerca de 3,8 milhões de euros à cotação actual).

Os números são de empresas de monitorização, que referem, citadas pelo Financial Times, que o Super Mario Run liderou os downloads na loja de aplicações da Apple em 60 países, tendo o jogo sido descarregado mais de 10 milhões de vezes depois de ser posto à venda na quinta-feira a meio da tarde, hora de Portugal Continental.

"É um número fabuloso para um primeiro dia. Para um jogo pago, o Super Mario Run parece ter sido o lançamento com mais sucesso de sempre para um jogo móvel," afirmou o analista Sameer Singh, da App Annie, realçando que o importante é saber se a empresa consegue manter o nível de atractividade do jogo.

O jornal dá conta de queixas dos utilizadores quanto ao preço de compra da versão completa do jogo - que ronda os dez dólares e é visto como mais elevado do que a maioria das aplicações móveis – e à indisponibilidade do jogo se o dispositivo móvel não estiver ligado à internet.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Célia Portela 17.12.2016

Sinceramente, e estamos em crise, já nintendo nada disto????

pub
pub
pub
pub