Telecomunicações Nos não prevê novos aumentos de preços em 2017

Nos não prevê novos aumentos de preços em 2017

A operadora considera que aumentos anuais entre 2% a 3% no futuro são sustentáveis, segundo o Haitong. E alerta que qualquer aumento acima deste valor pode implicar mudanças no modelo dos conteúdos desportivos.
Nos não prevê novos aumentos de preços em 2017
Sara Ribeiro 18 de janeiro de 2017 às 13:41

A Nos não acredita que haverá mais aumentos de preços dos serviços de telecomunicações em 2017. E considera que, no futuro, aumentos anuais entre os 2% e os 3% são sustentáveis, mas alerta que qualquer subida acima deste valor pode implicar mudanças no modelo de distribuição de conteúdos desportivos. Estas são algumas das conclusões destacadas pelo Haitong da conversa com responsáveis da operadora durante a conferência ibérica do banco de investimento.

 

Em Dezembro, a Nos aumentou os preços, em média, entre 2% a 2,5%. Um passo que também foi seguido pelas rivais que, tal como a Nos, aumentaram os preços dos serviços duas vezes no ano passado depois da assinatura do acordo de partilha de conteúdos de futebol.

 

Durante o encontro, que decorreu em Londres e reuniu-se com 24 empresas ibéricas e 85 investidores, a operadora liderada por Miguel Almeida explicou que após esta actualização dos preços em Dezembro espera poder traduzir 70% a 80% destes aumentos em crescimento das receitas.

 

A operadora revelou ainda que pretende rever a estratégia no Capital Markets Day para melhorar a política de remuneração accionista, de acordo com a nota divulgada pelo ex-BESI, lê-se no mesmo documento.

Segundo o Haintong a maioria dos investidores está consciente do aumento dos gastos da operadora em 2017, em grande parte devido aos conteúdos desportivos. Ainda assim, a preocupação é que a Nos falhe a orientação (guidance) do investimento operacional (Capex), "o que pode prejudicar a percepção sobre a empresa".

 

Por estes motivos, os investidores consideram que o aumento dos dividendos "seria bem-vindo".

 

"Continuamos convencidos de que 2017 será um ano crucial para a Nos, período durante o qual a empresa precisa de executar perfeitamente [a guidance do] CAPEX e surpreender o mercado com aumento de dividendos", conclui a nota do Haitong.

 

O banco de investimento aponta ainda que "embora a curto prazo as revisões do CAPEX possam afectar as acções, as expectativas em relação ao Capital Markets Day e a situação benigna do ambiente competitivo do mercado português fazem com que estejamos muito confiantes em relação à potencial valorização das acções".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.01.2017

este pais está entregue a mafiosos......é só enganar e roubar....

Nelson 19.01.2017

Tenho um pacote tv+net+fixo e fiu aumentado em dezembro pagava 27,9 euros aumentou 2 euros passou para 29,9 euros tive um aumento de +- 7% portanto a noticia de aumento de 2% a 2.5% de media não correspode a verdade. E pacotres com mais coisas tiveram aumentos de 4 e 6 euros.

Paulo 18.01.2017

A NOS não respeita os clientes!
Faz contratos e engana os clientes!...aumenta os preços dos contratos!...um abuso, falta seriedade e respeito.
Uma FRAUDE!...

18.01.2017

Claro, aumentaram em Dezembro de 2017.

ver mais comentários
pub